Tudo sobre Londres: o que fazer, transporte, alimentação, hospedagem e muito mais dicas

Atualizado por em 19/05/2017

Rogério Milani

Londres, a mais cosmopolita cidade da Europa

Palace_of_Westminster,_Londres

Antes de visitar: conhecendo Londres

Ônibus vermelhos de dois andares, Cabines telefônicas, Rio Tâmisa, táxis padronizados, o famoso Big Ben, o metrô, a London Eye e British Museum, o museu mais antigo do mundo… Londres é uma mistura entre os ícones seculares e a modernidade de seus arranha-céus na City, repletos de tecnologia e da inovação. Passado e futuro juntos em uma cidade aonde convivem mais de 300 nacionalidades juntas. Sair na rua e ouvir diversos idiomas em um único dia, ir aos famosos mercados (Portobello Road, Shoreditch, Borough Market, Candem Lock) e provar comidas do mundo inteiro são somente algumas das vantagens de viver ou visitar uma cidade tão multicultural como essa.

Não existe nada que não se possa fazer aqui e apesar de toda a diversidade, o mais incrível é que cada pessoa encontrará a “sua própria” Londres, que oferece muitos lugares diferentes, como mesmo descreveu o novelista e histórico Walter Besant: “tenho andado pelas ruas de Londres durante os últimos 30 anos e, ainda assim, encontro algo novo todo dia”. Por isso não é difícil escutar algumas pessoas falando que moram na mesma Londres e nunca conseguem se encontrar. Cada bairro tem a sua personalidade e seu estilo de vida varia conforme o lugar aonde você está.

Descubra essa cidade que vai muito além dos incríveis e majestosos famosos pontos turísticos (não é por nada que em 2015 Londres foi eleita a cidade mais visitada do mundo pela Revista Forbes). Londres não é feita somente de chuva, e ela não é tão cinza como todos imaginam. Londres tem luz, tem água, tem museus, tem sol, tem castelos, tem barcos, trens e metrô. Londres tem English Breakfast e comida italiana, peruana, brasileira, espanhola, russa e canadense. Londres é multi e pode perguntar a quem você conhece e que já esteve por aqui. Londres vicia e, quem conhece, se apaixona!

Como chegar e se locomover em Londres: dicas de transporte

Londres possui um dos sistemas de transporte mais completos do mundo, por isso é extremamente importante conhecer detalhadamente os meios de transportes públicos até porque a cidade é bastante grande. Existem algumas dicas para utilizar o transporte, como por exemplo, saber sobre o funcionamento do Oyster Card, o cartão de transporte da cidade, e que a princípio pode parecer complexo, mas na realidade é muito simples – seu uso estará bem explicado mais adiante. 😉

O Transport for London é o órgão encarregado pela gestão dos serviços de transporte de Londres, disponibilizando informações atualizadas em seu site sobre o funcionamento das linhas, opções de rotas, horários e tarifas.

Você pode utilizar ainda o Journey Planner  que é um serviço oferecido pelo Transport for London e é uma ferramenta muito útil para quem utiliza o transporte de Londres. Basta informar o trajeto que deseja realizar que ele lhe dará as melhores opções de rota, horários de trens e estimativa de duração da viagem. Abaixo vamos resumidamente citar alguns meios para que você comece a entender um pouco.

O metrô – Diferentemente dos Estados Unidos, onde o metrô é conhecido como subway, em Londres eles são chamados de tube ou underground. São 12 linhas que percorrem 480km de trilhos, atendendo 270 estações. Eles funcionam mais ou menos das 6h até as 24h, mas a partir de setembro de 2015, temos também linhas 24 horas.

O trem – O overground opera com trens por cima do solo que percorrem toda a cidade e subúrbio de Londres. São 83 estações atendidas por seis linhas. Muitas dessas estações fazem conexão direta com as linhas do metrô e o National Rail (ver descrição mais a frente), que atende várias cidades da Inglaterra. O overground veio para cobrir as áreas consideradas menos movimentadas e mais afastadas da cidade. Aqui neste site você poderá ver mais detalhes sobre isto.

DLR – A DLR é um sistema de metrô light que serve a área de Docklands que fica situada no Leste e Sudoeste de Londres. Possui 45 estações.

Ônibus – Todos os ônibus de Londres são obrigados a manter o mesmo padrão: a cor vermelha (ou personalizada), os dois andares e o mesmo tipo de espaço e conforto. São milhares de ônibus que atendem todos os bairros londrinos, com paradas a cada 200m ou menos. Na maioria dos pontos existem bancos para as pessoas sentarem, telas digitais que informam os horários e as linhas e mapas com as rotas. Existem linhas noturnas (com um “N” na frente) e também os que circulam 24 horas.

Bicicletas – Existem outros meios de transporte não-convencionais que Londres oferece, como o aluguel de bicicletas, muito conhecido , que serve tanto para quem vem a passeio e deseja explorar a cidade de uma forma diferente, como para os locais que estão adotando esse meio como principal transporte para chegar em seus trabalhos. Basta ir nos postos que você identificará as bicicletas com a etiqueta do Banco Santander. Você pode encontrar mais informações aqui ou diretamente no app Santander Cycles.

London Underground As The Tube Prepares For Olympic Traffic

Oyster Card é um universo à parte

A forma mais econômica para deslocamento na cidade é através do Oyster Card, muito embora os single tickets possam ser comprados separadamente, de acordo com seu trajeto. O Oyster Card funciona como um cartão magnético recarregável que permite andar de metrô, trem, ônibus, além de oferecer desconto para andar no London River Service (barcos). Funciona como o sistema de passe único que temos agora no Brasil. Para adquiri-lo, basta pagar £5 em qualquer estação e recarregá-lo conforme seu trajeto (a primeira recarga deve ser de £5). Você pode pagar com cartão de crédito, débito ou dinheiro e escolher entre creditar um valor pré-pago, chamado de pay as you go ou comprar um passe semanal ou mensal, que proporciona descontos ainda maiores.

Londres está dividida entre zona 1 (região central) e zona 9 (bairros mais afastados da cidade). Quanto mais longe você for, mais cara será a sua tarifa. Você também pode selecionar pelas zonas que deseja viajar, podendo escolher entre zonas 1, zona 1 e 2, zona 2 e 3, zona 1 a 4 e zona 1 a 6. É importante ter em mente que mesmo para passar por uma zona que você não vai descer, mas que fica entre as que você vai, você deve inclui-la em seu trajeto. Um exemplo: você pagou apenas para transitar pelas zonas 2 e 3, mas para chegar no seu destino você precisa obrigatoriamente passar pela zona 1, muito embora nem desça do trem, você então terá que incluir a zona 1 no seu Oyster Card.

Para utilizá-lo, passe-o por cima do leitor amarelo que fica localizado junto à catraca. Após o som de um apito, aparecerá o saldo na tela. Se você estiver sem saldo, soará um outro apito e aparecerá uma luz vermelha indicando a falta de crédito. Você deve passar seu Oyster Card sempre na entrada e na saída. Caso contrário, será descontado o valor de um travelday card (equivalente a um dia todo), que custa atualmente aproximadamente £9 para zonas 1 e 2, £11.40 para zonas 1-4 e £17 para zonas 1-6  (detalhes de como funcionam as tarifas mais adiante).

Dica – Caso você esteja apenas de passagem ou não precise mais dele, você tem a opção de devolvê-lo e receber as £5 e seu saldo (caso houver) de volta. Os estudantes com cursos acima de três meses tem direito a 30% de desconto. Para quem veio a passeio, a melhor opção é o Visitor Oyster Card, que oferece descontos e ofertas em vários pontos turísticos da cidade – basta solicitá-lo nas estações de metrô.

Como ir dos aeroportos principais até o seu hotel: chegando em Londres e se locomovendo pela cidade

Londres possui seis aeroportos que conectam a capital com outras cidades e países do mundo inteiro. São eles: Heathrow, City, Gatwick, Stansted, Luton e Southend.

Aeroporto de Heathrow

Situado a cerca de 20 km a oeste de Londres, é um dos aeroportos mais movimentados da Europa e possui cinco terminais. O aeroporto oferece várias opções para chegar ao centro de Londres. São elas:

* Metrô: Heathrow conta com uma estação de metrô, na qual passa a Piccadilly Line (azul marinho), que fica localizada dentro do aeroporto e que atende seus cinco terminais. Preste atenção no horário do primeiro e do último metrô para o aeroporto para não ter que contar com a sorte. A viagem para a zona 2 leva em torno de 40 minutos.

*Heathrow Express: trem expresso ligando o aeroporto até o centro de Londres. O embarque é feito no subsolo do aeroporto, a passagem custa por volta de £21 e a viagem leva aproximadamente 20 minutos. Acesse o site para saber mais.

*Heathrow Connect: Conecta o aeroporto à zona oeste de Londres, sendo a mais central Paddington Station. A viagem dura em torno de 25 minutos, com trens partindo a cada meia hora. Para quem vem de Londres, os trens param apenas nos terminais 1, 2 e 3, mas pode-se pegar o Heathrow Express até os terminais 4 e 5 sem nenhum custo adicional.

*Táxi ou cabs: é a opção mais rápida e cara mas, se você quer a comodidade de chegar até a porta do hotel sem se importar em gastar, essa é a opção certa. Você pode achar viagens até o centro por 50 pounds, dependendo da companhia contratada, da quantidade de malas e pessoas.

Aeroporto de Gatwick

Situado a 46 km ao sul de Londres é considerado o aeroporto mais moderno da Inglaterra, com dois terminais. Apesar de ser um pouco afastado da cidade, é de fácil acesso e a viagem para o centro de Londres demora apenas 30 minutos de trem.

*Gatwick Express é a melhor opção, considerando a relação custo x benefício. Trens expressos com partidas a intervalos regulares ligam o aeroporto até a estação de trem Victoria Station (ou Clapham Junction entre outros). O embarque é na plataforma anexa ao aeroporto e a passagem custa em torno de £15 por trecho. A viagem leva aproximadamente meia hora e existem trens a cada 15 minutos.  Acesse o site para saber mais.

*Ônibus: os ônibus partem do Terminal Sul e do Terminal Norte e levam os passageiros diretamente ao centro da cidade. Companhias como a National Express, Terravision ou Easy Bus (este último as passagens podem custar apenas £2) oferecem ônibus a cada 15-20 minutos. O tempo estimado de chegada é de um pouco mais de 1 hora.

standsted

Aeroporto de Stansted

É o terceiro aeroporto mais movimentado de Londres e um dos mais afastados, ficando situado a 48 Km do centro da cidade. É o ponto de partida e chegada de diversos voos de companhias aéreas de baixo custo. Trata-se de um dos aeroportos que mais crescem em Londres.

*Trem:  Stansted Express é a maneira mais rápida para realizar o trajeto entre o aeroporto e a área central de Londres (Liverpool Street Station). Os trens partem de Stansted das 6h à meia-noite (sexta e domingo, os horários variam) com trens a cada 15 minutos, com duração do percurso de 45 minutos. Os preços podem variar, mas se você comprar os bilhetes com sete dias de antecedência, consegue comprá-los por £12 (preço médio da passagem é de geralmente £23). Clique aqui para saber mais.

*Ônibus: a Easybus, empresa de baixo custo, tem como ponto de partida as estações de Baker Street e Old Street, com serviços 24 horas por dia. É uma das opções mais baratas (em torno de £9). Caso seja comprado online, o custo é ainda mais baixo. As saídas são a cada 20 minutos, e o percurso total dura 1h15. A National Express, com custo a partir de £10 (apenas ida), sai da estação de Victoria a cada 20 minutos, com paradas em Marble Arch, Baker Street, St. John’s Wood & Finchley Road.

Aeroporto de Luton

O Luton é o quarto maior aeroporto de Londres e é o mais afastado de todos os aeroportos, situado a 56 km ao norte do centro de Londres. Serve principalmente às companhias aéreas de baixo custo, como EasyJet e Ryanair.

*Trem: a Thameslink é a maneira mais rápida de fazer o trajeto entre a área central de Londres e o aeroporto. A empresa oferece seis trens por hora, e o percurso entre St. Pancras e Luton leva 45 minutos. Custo: £25 libras (ida e volta).

*Ônibus: Citadas anteriormente, a National Express, Terravision e EasyBus são consideradas umas das melhores e mais econômicas maneiras de sair do aeroporto de Luton em direção ao centro da cidade. Levam em torno de 1h30min até Victoria Station.

Aeroporto de City

É o quinto maior aeroporto de Londres e o mais central da cidade. Ele fica a cerca de 3,2 km de Canary Wharf e liga Londres a mais de 20 destinos da Europa. Existem alguns modos de se locomover chegando no City, são eles:

*Táxi: essa é uma boa opção para quem prefere comodidade já que esse aeroporto é o mais central de Londres. O custo fica em torno de 40 libras.

*Trens: a estação de metrô mais próxima é Canning Town, na Jubilee Line (linha cinza). De lá, dá para pegar um trem (DLR) até o aeroporto (10 minutos). Também é possível pegar o DLR na estação de Bank, cuja linha é a vermelha, central Line. A viagem de lá até o aeroporto leva 22 minutos.

Aeroporto Southend

Esse é o mais novo aeroporto de Londres e é praticamente todo utilizado pela companhia de Low Cost Easyjet. É relativamente novo e parece que uma das únicas alternativas para chegar lá é via trem. Você pode pegar o trem na estação Liverpool Street e demora mais ou menos 55 minutos para chegar no aeroporto.

Para conhecer os arredores de Londres: bate-volta para Oxford, Cambridge, Stonehenge, Bath ou Windsor, em Berkshire

Uma das coisas mais incríveis que se pode fazer quando se viaja para a Europa é poder pegar um transporte de qualidade e conhecer as cidades vizinhas. Com Londres, não poderia ser diferente e você encontra de tudo: desde cidades medievais, até mini cidades no meio do verde como a misteriosa Stonehenge. Poderíamos ainda citar a praia de Brighton, famosa pelo seu píer e lotada no verão ou a Stratford-Upon-Avon, que é a cidade natal de William Shakespeare. As opções são muitas, siga nossas dicas. Manchester, York e Liverpool estão mais afastadas. Uma dica bem interessante é olhar em sites de excursões como Ticketbar e Viator pois normalmente um pacote que inclui três cidades, por exemplo, sai barato e para quem tem pouco tempo e pode ser o suficiente para ter uma visão geral da cidade.

Alugar carro não é recomendado para quem for visitar apenas Londres, pois a cidade é muito bem servida por transporte público. Mas se a sua ideia for conhecer as cidades abaixo e outras pequenas cidades do interior da Inglaterra, alugar um carro pode ser uma ótima ideia! Consulte a Rental Cars e a RentCars para ter acesso às melhores opções de veículos e valores, já que elas buscam ofertas em diversas locadoras. E aqui neste link mais informações e super dicas para você se dar muito bem sempre que for alugar um carro!

Cidades universitárias: Oxford e Cambridge

Essas duas incríveis cidades universitárias estão pertinho da capital Londres, e para aproveitar uma das melhores coisas da Inglaterra que é poder viajar de trem ou de ônibus, organize-se. Bilhetes comprados com antecedência e seguindo algumas dicas podem baratear muito seu passeio. Leia um pouco mais sobre as nossas dicas de Oxford e Cambridge.

Oxford

Oxford fica a 100 km de Londres e essa distância pode ser facilmente percorrida de trem num trajeto pode demorar de uma ou duas horas, dependendo do horário – conexão com outras cidades. Considerada uma das melhores universidades do mundo, é tão conhecida como sua rival Cambridge, e é sede da universidade mais antiga da Inglaterra. Oxford é considerada um centro de conhecimento e de busca da sabedoria. O escritor do filme “O Senhor dos Anéis”, J.R.R. Tolkien frequentava o pub Eagle & Child. A cidade conta ainda com outros grandes nomes como Adam Smith, Edmund Halley, que deu o nome ao famoso cometa, Lewis Carroll (autor de “Alice no País das Maravilhas”), C. S. Lewis (autor de “As Crônicas de Nárnia”), J. R. R. Tolkien, Bill Clinton e Tony Blair. Todos eles fizeram história pelos campos universitários dessa incrível e medieval cidade.

Dica: Preste atenção ainda nos cenários do filme Harry Potter, aonde muitas cenas foram gravadas aqui, como Christ Church College, por exemplo. Nos roteiros guiados a pé você passará por esses edifícios tão conhecidos. Veja nosso post especial sobre Oxford para saber mais detalhes.

Como ir: Trens partem de Paddington, além de algumas excursões saindo de Victoria Coach Station.
Quanto tempo: + ou – uma hora
Mais informações: visite o site da cidade.

Cambridge

Centro de excelência em ensino, é bonita, típica e recebe quase 20.000 estudantes todo ano. É cortada pelo River Cam – onde se pode fazer um passeio de barco incrível – e é uma cidade limpa, organizada e cheia de colleges – que na verdade parecem mais castelos. A universidade tem quase 800 anos de existência e seu patrimônio intelectual inclui grandes nomes do mundo científico e artístico  – Isaac Newton (curiosidade: foi em Cambridge que a maçã caiu em sua cabeça!), Charles Darwin, Erasmo de Roterdam, Lord Byron, Francis Bacon e Stephen Hawking, só para citar alguns.

Dica: Cambridge possui uma ótima estrutura e planejamento para o turismo. Se tiver que escolher, opte pelo final de semana. Nesses dias, todas as atrações se voltam para o turismo.

Como ir: Os trens partem de Kings Cross e Liverpool Street, além de algumas excursões saindo de Victoria Coach Station.
Quanto tempo: + ou – uma hora
Mais informações: visite o site da cidade.

Stonehenge

A magia de Stonehenge

Considerada Patrimônio Mundial pela UNESCO, Stonehenge certamente ainda é um dos maiores mistérios do mundo pré-histórico. Conhecido como o círculo de pedras cuja origem até hoje é incerta, assim como o motivo da sua construção e possíveis funções. As teorias sobre o local são inúmeras: acredita-se que ele era usado para estudos astronômicos, mágicos ou como templo religioso dos druidas. Talvez ainda tenha sido um lugar de curas espirituais ou uma construção onde as pessoas de toda a ilha se reuniam. Mistérios, mistérios…que são a razão pela qual este é um lugar tão fascinante. O fato é que o local ainda atrai cerca de 700 mil visitantes por ano, sendo que durante o solstício de verão, em 21 de Junho, há uma festa imensa em torno das pedras. Neste dia, o sol nasce perfeitamente sob a pedra principal.

– Distância de Londres: Cerca de 1h40, entre as cidades de Amesbury e Salisbury.
– Trens partem de Waterloo para Salisbury. De lá é preciso pegar um ônibus ou táxi.

Bath e seus famosos banhos romanos

Bath é uma cidade pequena, porém muito simpática e que mais parece uma vitrine para a história. Situada às margens do rio Avon, foi possivelmente fundada em 863 antes de Cristo, mas a cidade ficou “famosa” mesmo após a ocupação romana. Os Banhos Romanos eram imensas piscinas públicas utilizadas como área de lazer e local de reuniões e negócios.

Há mais de 2.000 anos, os romanos descobriram as águas termais de Bath e até hoje os Banhos Romanos estão espalhados pela cidade e recebem muitos turistas o ano todo. Se você tiver interesse em experimentar um banho em águas ricas em minerais, uma ótima opção é o Thermae Bath Spa, o qual tem uma vista espetacular da cidade, principalmente da piscina do último andar. Caso você ainda não saiba, Bath significa, literalmente, banho.

A cidade também é considerada Patrimônio Mundial da UNESCO e, dentre os belos locais a serem visitados, estão os impressionantes Royal Crescent, o Circus e a Ponte de Pulteney. Não deixe de visitar ainda a belíssima Abadia de Bath.

Dicas: Há um cartão de desconto disponível para visitantes. A cidade é bastante conhecida por seus afternoon teas. Este site dá bastante opções pra você escolher um salão de chá bastante charmoso e curtir essa experiência tão britânica.

Como ir: Os trens partem de Paddington, além de algumas excursões saindo de Victoria Coach Station.
Quanto tempo: uma hora e meia.
Mais informações: Visite o site da cidade.

Windsor e seu famoso castelo medieval

Na cidade de Windsor, condado de Berkshire, situa-se o maior castelo ocupado do mundo, o Castelo de Windsor. É ali onde a Rainha gosta de se refugiar, até porque, quando criança, Elizabeth II morou no castelo durante os bombardeios a Londres, na Segunda Guerra Mundial.

Durante o passeio pela ex-sede da monarquia britânica, é possível conhecer a casinha de bonecas da Rainha Victoria, passear pelos jardins do palácio, entrar na igreja, além de ver a troca da guarda (confira aqui o calendário). É um passeio inesquecível e rápido. Somente não esqueça que é necessário pagar pelos tickets na visita (em torno de 20 libras).

Como chegar lá? Existem dois tipos de trajeto de trem: o direto, que partem da estação de Waterloo e os com uma conexão na cidade de Slough, que partem da estação de Paddington. Em Windsor, existem duas estações de trem, a melhor opção é desembarcar Windsor & Eton Central, que fica praticamente em frente da entrada principal do castelo. Você pode ainda sair de ônibus de Victoria Station com linhas 701 e 702 de meia em meia hora.

Caso você prefira fazer estes bate-volta com grupo fechado ou excursão já organizada, para não se preocupar com horários, onde pegar trem/bus, como chegar, consulte a Ticketbar e a Viator, nossos parceiros e empresas super competentes na venda de ingressos e pacotes.

Seguro viagem obrigatório na Europa

Ficou com vontade de conhecer Londres? Se você viajar pra lá, precisa obrigatoriamente contratar o serviço de seguro viagem! Se você nunca ouviu falar sobre isso e quer saber mais, leia este post sobre o seguro viagem e todas as dicas para contratar este serviço.

Viaje tranquilo com seu seguro viagem Real Seguros, Mondial Assistance ou World Nomads.

Onde ficar em Londres: dicas de acomodação

Uma das grandes dificuldades para quem vem a Londres para passear e morar é a dificuldade de encontrar um bom e econômico lugar para ficar em Londres. Se você começar a pesquisar, verá que existem diversos lugares para todos os gostos mas, por se tratar de uma cidade grande e com os preços relativamente altos, as pessoas acabam encontrando obstáculos diversos no momento de reservar.

Antes de qualquer coisa, contrate um profissional ou pesquise um pouco sobre as zonas e a localização, especialmente se você vai ficar poucos dias. Se você pretende ficar mais, também iremos lhe orientar. Saiba que Londres possui oito zonas diferentes, sendo que as grandes atrações turísticas estão localizadas na zona 1 e 2.

Opção econômica

Hostels e Bed & Breakfasts – Os hostels são algumas opções mais baratas de hospedagem. Antes era usualmente utilizado pelos “mochileiros”, mas agora o nível de alguns hostels se elevou bastante o que fez com que fossem utilizados também por pessoas que querem ecomomizar na hospedagem e gastar seu dinheiro em outras coisas. Apesar de existirem opções de quartos privados, a desvantagem é a falta de privacidade. Os B&Bs são pequenos alojamentos que oferecem pernoite com café da manhã.

Algumas ótimas sugestões de hostels e B&B muito bem localizados e de bom valor em Londres, para fazer muitos passeios a pé pela cidade ou então usar facilmente o transporte público:

  1. Travel Joy Hostels
  2. Regency Hotel Parkside
  3. YHA London Central
  4. Generator Hostel London
  5. SoHostel
  6. The Walrus Bar & Hostel
  7. Diversos outros hostels e B&Bs bem localizados e bom preço em Londres

Opção tradicional/preço médio

Você pode encontrar bons hotéis em Londres, que variam de 1 a 6 estrelas, gastando de 40 libras até milhares de libras por noite. É necessário buscar bem, de preferência baseado em reviews (depoimentos) e conhecendo bem as áreas de Londres – isto é muito importante. Fique perto de uma estação de metrô ou trem e de paradas de ônibus 24h (ou melhor, Noturnos-N).

A mais recente descoberta do mercado de acomodações são sites como Airbnb e Wimdu e, cada vez mais, vejo gente utilizando esse serviço. Estes sites reúnem mais de 950 mil opções de hospedagem que vão desde um quarto em uma casa de família ao aluguel de um apartamento inteiro ou casa. O custo-beneficio é muito bom já que você tem toda liberdade do “estar em casa” a um preço similar ou inferior ao hotel.

Selecionamos algumas ótimas opções de hotéis em Londres, bem localizados, para fácil uso do transporte público e podendo fazer alguns ou diversos passeios a pé pela cidade. Lembre-se de que muitos hotéis, a exemplo dos hostels e B&Bs, oferecem opções mais baratas com quartos privativos e banheiros compartilhados. Pode ser uma boa saída para economizar em Londres e para os europeus isto é muito comum. Nós também já ficamos em muitos hostels e hotéis com banheiros compartilhados e não vimos nenhum problema nisto!

  1. The Tommyfield Hotel
  2. The Z Hotel Shoreditch
  3. London City Hotel
  4. The Darlington Hyde Park
  5. Diversos hotéis da rede Ibis ordenados por mais centrais
  6. Outros bons hotéis em Londres

Opção alto padrão

O que mais existe em Londres são hotéis chiquérrimos como opções de alto padrão, não será difícil encontrá-los.

  1. Four Seasons Hotel London at Park Lane
  2. Royal Garden Hotel
  3. The Montcalm
  4. Bulgari Hotel
  5. The Soho Hotel
  6. Lista com diversos hotéis de alto padrão e bem avaliados, além de bem localizados e ordenados por preço

Além das sugestões acima, você também poderá conferir sugestões dos clientes da consultoria de roteiro personalizado, bem como suas avaliações dos hotéis, hostels, B&Bs, pousadas e apartamentos nos quais ficaram em Londres. Clique aqui para conferir as viagens personalizadas e avaliações de hospedagens.

Onde comer em Londres: dicas de alimentação

Não existe nenhum tipo de comida que você não tenha em Londres! Você encontra tudo o que você quiser ao preço que você quiser. Engana-se quem diz que somente existe comida cara e ruim em Londres. Existem milhares de mercados de rua, opções baratas espalhadas pela cidade e opções que vão desde gourmet até pedaços de pizza na rua por duas libras o pedaço. Existem diversos lugares que vendem comidas baratas aonde se pode pegar algo e sair comendo na rua entre um passeio, ou claro, existem lugares super especializados e caríssimos. O bom é que existem opções variadas para todos os bolsos e paladares, e para quem vem morar, existe também uma imensa rede de supermercados espalhados pelos quatro cantos da cidade, sempre com ofertas imperdíveis de buy one – get one free, half price products ou então de save up X para gastar menos.

Pratos típicos
A maioria dos londrinos começa o dia comendo feijão doce acompanhado de ovos fritos, salsicha, bacon, tomates, cogumelos, torradas e café com leite. O nome desse café da manhã inglês é o famoso English Breakfast, típico do Reino Unido. Outros pratos tradicionais que devem ser experimentados ao visitar a cidade são o Fish and Chips (peixe frito com batatas fritas) e Steak and Ale Pie (torta de carne com cerveja). Não deixe de prová-los, pois seria a mesma coisa de ir à Itália e não comer as deliciosas massas do país.

Opções econômicas

Pret-a-manger: Muito fácil de encontrar enquanto você caminha e visita a cidade. Não vendem produtos industrializados, apenas comidas feitas na hora como sanduíches, saladas, sopas, wraps e croissants. Além disso, você pode encontrar frutas avulsas, barras de cereais, sucos, cafés, iogurtes, salada de frutas, frutas secas, bolos e geleias deliciosas. Comida rápida e barata, ideal para viajantes. A refeição básica com suco fica em torno de £6.

Eat: Muito parecido com a concorrente acima, também serve saladas, sucos, wraps, sanduíches. A diferença é que vende também combinados de sushis e sashimis para levar.

Caffé Nero: Cafeteria fundada em 1997 e, hoje, já conta com 360 lojas. Em 2004, foi considerada a 20º companhia em crescimento mais rápido no mundo. Oferece excelentes cafés, chás, sanduíches frios e quentes e sobremesas.

Costa Café: É outra excelente opção para uma pausa após as longas caminhadas pela cidade. Possui filiais em todo o mundo e dispõe de wi-fi grátis, sofás confortáveis e diversos tipos de cafés e diferentes lanches. É muito conhecido também pelos desenhos feitos nos cremes do expresso.

Opção tradicional/preço médio

Inamo – cozinha asiática
Interiorista:  Blacksheep  / Chef: Alexander Ziverts.
Endereço: 134 – 136 Wardour Street (Soho), W1F8ZP.
Metrô: Tottenham Court Road.
Horário de abertura:
Segunda a Quinta de 12h a 23h30 (Sexta e Sábado até as 24h e Domingo até as 22h30).

Wahaca – cozinha mexicana
Um dos nossos restaurantes preferidos, localizado em Southbank, bom para quem gosta de comida mexicana e para quem sair da London Eye com fome. Reserva antecipadamente ou aguarde na fila.
Endereço: Queen Elizabeth Hall – Southbank Centre / Belvedere Road / SE1 8XX.
Metrô: Waterloo.
Horário de abertura: Segunda a Sábado de 12h as 23h e Domingo das 12h as 22h30.

Opção alto padrão

Buddha Bar – cozinha asiática contemporânea
Interiorista: Raymond Visan  /  Chef: Jordan Sclare.
Endereço: 8, Victoria  Embankment  (Westminster).
Metrô: Temple.
Horário de abertura: Segunda a Sexta de 12h a 15h e de Segunda a Sábado  das 12h as 1h.

Plateau – cozinha moderna
Interiorista:  Conran & partners / Chef: Tim Tolley.
Endereço: 4th Floor Canada Place, Canada Square (Canary Wharf), E145ER.
Metrô: Canary Wharf, Jubilee Line e DLR.
Horário de abertura: Segunda a Sexta de 12h a 15h e de 18h as 22h30. Sábado de 18h as 22h30.

Londres imperdível: dicas que todo viajante tem que saber

1. Leve tênis confortável, ande a pé pelos roteiros na zona central – da London Eye até Torre de Londres, por exemplo.
2. Entenda o funcionamento do transporte na cidade, em especial do cartão de transporte Oyster Card.
3. Utilize websites como Last Minute ou Woucher para encontrar opções de tickets baratos para as atrações (especialmente shows e musicais).
4. Baixe o aplicativo de transporte City Mapper, ele lhe ajudará muito.
5. A melhor época para visitar Londres é em maio-junho e setembro-outubro. Nessas épocas, não é tão frio, nem calor e não existe superlotação de turistas.
6. Visite atrações que fiquem relativamente perto uma das outras pois isso ajudará você a poupar tempo, o que é muito importante em Londres.
7. Se você quer economizar na comida, peça a opção “Take Away” – para levar.
8. Os principais museus de Londres (British, História Natural, National Gallery, Victoria and Albert) são gratuitos.
9. Vá até Greenwich de barco, você terá uma outra visão da cidade.
10. Compre maquiagens e perfumes em lojas como Superdrug ou Boots, bem econômicas.
11. Estude um pouco das palavras básicas em inglês. Apesar de eles serem super gentis com estrangeiros, nada melhor do que saber se comunicar.
12. Prova a famosa torta de maçã Apple Crumble.
13. Esteja em Londres durante o final de semana para não deixar de visitar mercados como Borought Market, Portobello Road e Candem Town, no domingo.

promocao

O que fazer e onde turistar em Londres: 4 dicas de passeios diferentes

Sugestão de Roteiro 1 – Um passeio ao redor do símbolo de cidade – O famoso Big Ben

Todo mundo que chega em Londres tem a curiosidade de passar pelo famoso relógio, símbolo da capital da Inglaterra que faz parte do Parlamento Inglês. Indicamos o começo do passeio pela estação de Victoria Station por ser mais fácil de chegar em relação aos hotéis. Resolvemos colocar a Troca da Guarda neste roteiro mas ela pode ser vista em qualquer outro dia. Tratamos como ponto inicial, mas você pode aproveitar a manhã para fazer outras coisas, já que a troca da Guarda somente acontece às 11 horas da manhã. Preste atenção no site, já que no inverno, eles alternam de mês a mês entre os dias pares e ímpares. O roteiro é todo feito a pé. Para a compra dos ingressos de atrações que não são gratuitas, consulte o site oficial de cada atração ou então os sites Ticketbar e Viator. Confira!

A – Ponto inicial – Victoria Station
BPalácio de Buckingham – Troca da Guarda
CHorse Guards Parade – Pausa para a foto com os cavalos após cruzar o maravilhoso Parque de St. James.
DIgreja Westminster Abbey – Famosa pelo casamento da Kate com o príncipe William.
EHouses of Parliament – Veja de perto o famoso Big Ben.
FLondon Eye – Após cruzar a movimentada ponte em frente ao Parlamento chegue até a famosa Roda Gigante do Milênio.
GNational Theatre – Curta a região de Southbank, seus bares, restaurantes e cafés na beira do Rio Tâmisa e não deixe de acompanhar alguma apresentação no teatro.
HTate Modern – Simplesmente um dos melhores museus do mundo de arte contemporânea. E o melhor de tudo? As exposições fixas são gratuitas.
IShakespeare Globe – Este teatro foi reconstruído após o incêndio no original, onde o famoso dramaturgo Shakespeare começou a apresentar suas peças. Vale a pena ver as apresentações das peças dele no teatro até porque você poderá encontrá-las no site a um preço de 5-10 libras.
JBorough Market – Localizado pertinho da estação London Bridge, este maravilhoso mercado vende frutas, comidas e produtos do mundo todo. O melhor dia para visita é no sábado. Ali pertinho, está a Catedral mais antiga do mundo, a de Southwark e o prédio mais alto da Europa, o The Shard.

Se ainda sobrar tempo, passeie pelos arredores de Southwark, repletos de bares e restaurantes, conhecido por seus pubs antigos e famosos.

Sugestão de Roteiro 2 – Um dia de puro conhecimento nos museus da cidade e arredores

Uma das coisas mais maravilhosas da cidade de Londres é a sua infinidade de museus, casas culturais, casas de artistas-escritores, cantores e outros famosos e os muitos eventos. Selecionar apenas alguns deles é triste, mas necessário para quem tem pouco tempo na cidade. Outro fator relevante para a escolha destes museus é a sua proximidade, o que é muito importante para quem vem a turismo. Veja nossas dicas e faça o roteiro a pé!

A – Ponto inicial – South Kensington Station
BVictoria and Albert Museum – Fundado em 1852, é o maior museu de arte e desenho do mundo.
Science Museum – Popular entre as crianças (com sessão de cinema no último piso) é uma homenagem à tecnologia a serviço da vida cotidiana, possuindo mais de 3.000 objetos.
DNatural History Museum – O preferido dos pequenos impressiona pela beleza de seu prédio. Além disso, a área dos dinossauros e da Minerologia e Pedras Preciosas são incríveis.
ERoyal Albert Hall – Este imponente local de espetáculos vale a visita. Se estiver na cidade entre Agosto e Setembro não deixe de participar do BBC Proms, festival de música clássica que acontece na cidade e tem tickets por preços baixos.
FKensington Palace – Localizado no parque mais famoso da cidade, o Hyde Park, é uma das inúmeras residências reais da Inglaterra, atualmente local de moradia de William e Kate.
GHyde Park Corner – Passeie por esse charmoso parque e, se o dia estiver bonito, não deixe de alugar uma bicicleta. Se vier no inverno, visite o famoso Winter Wonderland. Hyde Park Corner é uma das entradas do parque e contém bonitas esculturas.
HHarrods – Esta é a maior loja de departamento de Londres, com 90 mil metros quadrados de espaço para venda. Se tiver tempo (e dinheiro) prove o famoso chá inglês lá dentro.
ISloane Square – Em pleno coração de Chelsea e rodeado de bares, restaurantes e lojas está a praça Sloane Square, que leva à estação com o mesmo nome.
J Bairro de Chelsea – Para os amantes das compras e do bom gosto, passeie pelas ruas King’s Road ou Kensington High Street e, claro, escolha um dos bares, festas ou restaurantes para aproveitar a noite.

Se ainda sobrar tempo, vá até o Shopping Westfield – somente se gostar deste tipo de passeio – ou dê uma volta ao redor do Rio Tâmisa, cruzando a ponte e visualizando o Battersea Park e a antiga usina de Battersea, símbolo da cidade e que agora está em revitalização para tornar-se um centro comercial.

Sugestão de Roteiro 3 – Um tour pelo “agito” no centro Londrino

Quem não conhece o famoso painel de leds e a estátua de Eros na Piccadilly Circus? E o antigo mercado de frutas de Covent Garden? Trafalgar Square? Então este roteiro foi feito para você e ele é sugerido para ser feito a pé.

A – Ponto inicial – Charing Cross Station
B Trafalgar Square – Principal praça de Londres, cujo nome é proveniente da batalha de Trafalgar, na qual os britânicos derrotaram as forças de Napoleão. A coluna do comandante Nelson é protegida por quatro leões.
CNational Gallery – Localizada na Trafalgar Square, tem sua entrada gratuita e lá dentro podemos encontrar obras de Monet e os famosos girassóis de Van Gogh. Com tempo, visite a maior galeria de retratos do mundo que se encontra ao lado direito da Galeria.
DIgreja St. Martin and Fields – Marcamos como ponto turístico para que você não deixe de visitar o Cafe in the Crypt, que funciona abaixo da Igreja, na Cripta e tem, na minha opinião, a melhor Apple Crumble de Londres, hmmmm…
EMercado de Covent Garden – Localizado no bairro artístico de Covent Garden, vale a pena visitar as lojas, restaurantes e sentir o clima de arte fora e dentro do mercado. Lindo!
FLeicester Square – Praça localizada perto do West End, que contém o Odeon, o cinema mais antigo do mundo. É ali que acontecem os famosos premieres de lançamentos dos filmes no tapete vermelho.
GChinatown – Um verdadeiro e autêntico pedaço da China na capital inglesa.
HPiccadilly Circus – Ponto turístico mais fotografado de Londres, está sempre lotada de gente. É um local muito agitado em todas as horas do dia e da noite e é a porta de entrada para a famosa Regent Street.
ICarnaby Street – A Carnaby tornou-se extremamente popular e associada à modernidade, liberdade criativa e bom gosto durante os anos 60 do século passado, quando esteve bastante ligada ao movimento mod na Inglaterra.
JSoho Square – Mistura de atrevimento e elegância se misturam entre ruas caóticas, restaurantes e boates “da moda”. É onde se concentra a cena gay londrina.

Existem muitos outros passeios aos arredores desta zona que você pode fazer se tiver tempo. Para compras, a Regent Street (visite a mimosa loja de brinquedos Hamleys) e logo, a Oxford Street (loja da Nike e a famosa barata Primark) valem o passeio. Você ainda pode visitar a Academia de artes, o Green Park e a Bond Street por um lado, além da Baker Street, Regent’s Park e Museu de Arte Madame Tussauds ao final da Regent Street.

Sugestão de Roteiro 4 – Passeio até Greenwich, City e uma nova visão sobre Londres

Sempre recomendo este passeio para que as pessoas possam ter uma visão geral da cidade de Londres, ao sair da Zona Central. Começando com a saída de barco do pier de Embankment em direção à Greenwich, visite um pouco da City of London na volta. Se o dia estiver ruim e chuvoso, recomendamos deixar esse passeio para um dia de sol.

A – Ponto inicial – Pier de Embankment
BGreenwich – Famoso bairro afastado do centro da cidade é conhecido pelo Observatório aonde está o Meridiano de Greenwich que divide a Terra em Leste e Oeste. Para chegar até ali o barco passa pela famosa Tower Bridge, o bairro de Canary Wharf e o O2 Arena. O parque tem vista para toda a cidade.
CTower Gateway – duas opções, voltar de DLR por Canary Wharf, descendo em Tower Gateway ou de barco. Aí você estará na zona da Torre de Londres.
DTower of London – A Torre de Londres é uma das construções britânicas que tem o maior número de histórias. Ali dentro estão as jóias da rainha e já serviu de prisão.
ETower Bridge – A famosa ponte utilizada nos filmes de James Bond é outro símbolo da cidade, muitas vezes confundida com a London Bridge. Acima abrigam uma exposição bem interessante.
FMonument – Coluna dórica erigida para lembrar o desastre do Grande Incêndio de Londres, de 1666 em que ⅔ da população foi destruída.
G The Knights Templar Pub – Era um pub de um banco e aparece em cenas do filme “O Código da Vinci”. O nome dele significa Ordem dos Templários, que tem relação com o filme. Vale a visita.
HCity of London – Vale a pena caminhar pela City e tudo vai depender do tempo que você tem para isto já que as opções são muitas. Desde subir no topo do edíficio Walkie Talkie no novo jardim, visitar a Catedral de St. Paul, ver o famoso “pepino” e tantos outros passeios.
ITemple Church – Símbolo dos cavaleiros templários.
JLiverpool Street – Famosa estação de metrô e ponto de encontro para outros lugares famosos da cidade como a inovadora Shoreditch, Bricklane entre outros.

Outras sugestões de passeios em Londres:
Portobello Market e o pitoresco bairro de Notting Hill – Sábado
O espetacular British Museum
Little Venice, Camden Town – o bairro do Rock – Domingo
Southwest London – Putney Bridge, Richmond, Barnes e Kew Gardens

Cartões de turismo e compra de ingressos

London Pass

O London Pass é um cartão exclusivo para turistas que permite a entrada em mais de 60 pontos turísticos da cidade. São oferecidos vários pacotes que atendem desde 1 a 10 dias de passeio. É ideal para as pessoas que não querem levar muito dinheiro no bolso e nem querem perder tempo comprando as entradas. Em algumas atrações não é preciso nem pegar fila. No entanto, você tem uma “diária” para gastar no valor de £90. Isso quer dizer que se o valor das entradas das atrações que você escolheu para um dia ultrapassar £90, você não poderá mais fazer visitas até o próximo dia.

O London Pass de 1, 2, 3 e 6 dias vem com a opção de obter um Oyster Card e o London Pass de 10 dias pode vir também com um Oyster Card com um saldo pré-pago de £50. O melhor de tudo é que você pode pedir pelo seu London Pass com até 12 meses de antecedência.

Para efetuar a compra e saber quais atrações contempladas, preços e promoções, acesse o site do London Pass ou compre no site parceiro Ticketbar.

Economicamente falando o London Pass tem grande vantagem para quem quer visitar a maioria dos locais turísticos e cobertos pelo passe e tem uma agenda concreta para isto. Para quem pretende explorar mais os locais gratuitos de Londres, como museus, e caminhar bastante por ruas, parques, o passe não será um bom negócio. Mas para quem procura comodidade, quer furar filas, quer descontos em musicais, teatros, restaurantes, aí o London Pass também é super válido! Minha recomendação: faça um rascunho de todos os lugares que você quer conhecer em Londres e tente esquematizar isto numa planilha, com mapa e tempo em cada local. Aí verifique valores dos ingressos e compare com o valor total do London Pass, para tomar a sua decisão.

O melhor guia de viagem de Londres

promocaoA Roberta, nossa colaboradora e co-autora deste artigo, lançou, no início de maio, o super Guia de Londres Steps to Fly em Londres, que ajuda turistas e pessoas que decidiram morar em Londres a conhecer o melhor da  cidade e ter sucesso no que decidirem fazer por lá! O guia tem quase 500 páginas de pura informação organizada por temas e ajuda MUITO em questões práticas sobre a cidade. Ficou curioso? Leia aqui o primeiro capítulo inteiramente grátis. 🙂 Por apenas R$ 59,00 você baixa em seu computador, tablet ou smartphone o melhor e mais completo conteúdo sobre Londres! Um guia perfeito para quem quer viajar bem e barato pela caríssima Londres!

Londres: contatos e números de emergência

Emergência – 999 ou 112
Home Office – 0870 606 7766. Instruções gravadas em inglês: 8760 1622.

Casa do Brasil em Londres – Conta com serviços de emergência 24 horas por dia para detenções, recusas de entrada, falecimentos.
Endereço: 21 Foley Street
Londres, W1W 6DR
Telefone: 020 7580 0133
Tel de emergência: 075 4072 3499
Fax: 020 7637 1045
E-Mail: info@casadobrasil.org.uk

Consulado Brasileiro em Londres
3 Vere Street, W1 (quase esquina com Oxford Street).
Metrô: Bond Street. O Consulado mudou recentemente para um novo local, portanto é recomendável checar o site para confirmar os novos horários de atendimento.
Tel. 020 7659 1550.
E-mail info@consbraslondres.com

Embaixada do Brasil em Londres
32, Green Street, W1.
Metrô: Marble Arch.
Tel. 020 7499 0877
info@brazil.org.uk

Este artigo foi escrito por Roberta Weber Calabró e Rogério Milani – Parceria Steps To Fly e Viajando bem e barato pela Europa.

_______________________________________________________

Recomendados pelo blogueiro para uma viagem perfeita na Europa
Alugue seu carro com Rental Cars ou RentCars
Reserve seu hotel
Compre seu ticket de trem
Evite filas comprando ingressos antecipados
Organize passeios nas cidades e arredores
Reserve seu voo
Viaje tranquilo com seu seguro viagem Real Seguros, Mondial Assistance ou World Nomads
Serviço de câmbio confiável e com boas taxas, com desconto para leitor do Viajando: Confidence

_______________________________________________________

banners05animado01

Tags

4 Comentários

  1. Olá, ótimas dicas, gostei!
    Quero fazer um curso de 1 mês de inglês.
    Qual vc recomenda?
    Obrigada,
    Dora

    Comente
    • Rogerio Milani

      Oi Dora, tudo bem?!

      Entre em contato com a Simone, da Lear Travel, que ela poderá te ajudar dando sugestões de cursos, valores, hospedagens e tudo mais, ok?!

      O email dela é simone@leartravel.com.br.

      Abraço!

      Comente
  2. Melhor blogue sobre Londres !!! Melhores informações. Muito obrigada agora é só arrumar as malas Rsrs Sucesso

    Comente
    • Rogerio Milani

      Isto aí Jeise, fica de olho pois sempre tem promos de voos baratos de Portugal para Londres e aproveita! As informações principais você já tem! 🙂

      Abraço!

      Comente

Trackbacks/Pingbacks

  1. Europa barata: Dez coisas para fazer de graça em Londres - Viajando Bem e Barato | Dicas e roteiros de viagem - […] você está planejando viajar para Londres, pode gostar deste post aqui: Tudo sobre Londres: o que fazer, transporte, alimentação,…
  2. Quarto em Londres - […] deste post e está planejando viajar para Londres, pode se interessar também pelo nosso super post Tudo Sobre Londres,…
  3. Tudo sobre Paris - […] você já leu o nosso post Tudo sobre Londres ou já visitou alguma destas grandes capitais do mundo com…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *