Dicas de viagem para Caxias do Sul: onde ficar, onde comer e passeios para fazer na região

Publicado por em 09/09/2016

Rogério Milani

Estive viajando pelo interior de Caxias do Sul com minha esposa Letícia e vivemos experiências muito legais, vem saber dicas de passeios, alimentação e hospedagem por lá!

Dicas de viagem para Caxias do Sul_selfie_Viajando bem e barato

Dicas de viagem para Caxias do Sul

Nossa história com a Hospedaria Rio do Vento começou há três anos, quando estivemos em Caxias do Sul e conhecemos o proprietário do local, Maurício que, na época, estava bastante empolgado com a iminente construção da sua hospedaria. Ele nos explicou que ela teria um conceito bem diferenciado e levou eu e a Letícia para conhecer a casa onde seria a hospedaria, que havia sido trazida da região das Missões.

Chegamos lá para passar o final de semana à convite da hospedaria e parecia que estávamos chegando na casa de velhos amigos: fomos recebidos pelo Maurício, Bruna e Igor. Também conhecemos a Maura, especialista em morangos do Rio do Vento Hidroponia, que cultiva a fruta de um jeito muito especial – mas disso falaremos mais tarde.

Dicas de viagem para Caxias do Sul_hospedaria_Viajando bem e barato

A hospedaria é composta por duas casas trazidas das Missões que viraram uma ali, com uma arquitetura arrojada e bem contemporânea. O conceito da Rio do Vento é baseado na sensação de sentir-se em casa: parece que estamos visitando amigos que não víamos há tempos.

Tudo é muito aconchegante, pensado nos mínimos detalhes e guarda histórias interessantes, além da presença constante de motivos náuticos. Os quartos da hospedaria, por exemplo: cada um deles leva o nome de um destino de viagem da família. Espalhadas pela casa, estão diversas fotos do casal nestas viagens. Só isso já dá pra ter uma noção do quanto o lugar é acolhedor e te proporciona uma experiência diferente.

Dicas de viagem para Caxias do Sul_sala_Viajando bem e barato

Pra mim, o grande lance de ir lá é curtir o local e a casa em si. Passamos muito tempo conversando com o pessoal da hospedaria, trocando impressões e experiências e acho que esse é o intuito deles: criar um momento único pra quem vai lá.

Antes de abrir a hospedaria, eles já tinham no terreno ao lado a Rio do Vento Hidroponia, que produz morangos com mudas importadas e cultivadas em água da chuva, onde os nutrientes são colocados de acordo com as necessidades da planta. O mais legal de tudo isso? Eles crescem ao som de boa música dentro da estufa! Só clássicos do rock and roll, reggae e música latina! Eles nos explicaram que a eliminação da terra como meio de cultivo faz com que as plantas fiquem livres da maioria das pragas e doenças, geralmente transmitidas pelos micro-organismos presentes no solo. Isto, aliado a utilização de controle biológico, possibilita a produção de frutos sem o uso de agrotóxicos. E a estufa evita que sofram com as mudanças climáticas. Se você for conhecer a hospedaria na primeira semana de setembro, pode pegar a época da primeira colheita dos morangos! 🙂

Ficamos por ali, curtindo o belo lugar e, depois, fizemos um lanche no Barlavento, um espaço aconchegante que fica ao lado das estufas de morango e que serve vários produtos derivados desta fruta, além de lanches bem saborosos. Experimente o suco de morango, os pães e iogurtes fantásticos! Tudo produzido ali mesmo! A cuca de mirtilo também é incrível!

Depois do lanche, voltamos para a hospedaria e curtimos a noite em frente à lareira, tomando um bom vinho e jogando conversa fora. Ficamos conversando com outros hóspedes que estavam por lá e foi bem agradável. Como o Barlavento funciona até as 20h, encomendamos uma sopa no pão e jantamos na hospedaria mesmo.

Outro detalhe da hospedaria é que todos os quartos são aquecidos e tudo é muito bem organizado e de bom gosto – dos lençóis à decoração. Não há qualquer tipo de excesso, tudo é na medida. Arrisco dizer que estar lá é tão bom quanto estar em casa. 🙂

No dia seguinte, acordamos naquele paraíso, cercados por natureza de todos os lados, e tomamos um bom café da manhã, com tudo na medida certa: frutas, café e leite, pães, ótimas geléias produzidas por ali mesmo, um super suco de morango e os deliciosos iogurtes naturais também produzidos por ali. Aproveitamos pra bater um papo com o Maurício, dono da hospedaria, que nos contou que largou a vida de executivo de uma grande empresa em Caxias do Sul para realizar seu sonho de plantar morangos. Depois de muitos anos de estudo e pesquisa, finalmente ele conseguiu se estabelecer e trabalhar do jeito que sempre sonhou. Demais, né?

Vá lá: Hospedaria Rio do Vento – Estrada RSC 453, Km 154, S/n – Travessão Cremona – Rota do Sol, Caxias do Sul – RS
Telefone para reservas: (54) 9908-5500. Site: Hospedaria Rio do Vento

Depois, saímos para dar uma volta na região e escolher um lugar pra almoçar – confira as dicas!

Dicas de viagem para Caxias do Sul – Onde comemos por lá

Chico do Mel

O restaurante fica no centro de Ana Rech e mais parece uma casa de vó – bastante rústico e com aquela comida caseira perfeita feita em fogão à lenha, sabe? O Chico do Mel é uma figuraça e gosta de conversar com quem está almoçando por lá – ele sempre tem uma boa história pra contar!

O restaurante só abre aos domingos e, quando estivemos lá, eles serviram um tortei fabuloso (feito no próprio restaurante), sopa de capeletti, polenta, matambre e nhoque – e, no final do banquete, um licor de butiá de tirar o chapéu! O custo da refeição foi R$ 40 por pessoa, e é preciso reservar seu lugar nos telefones abaixo. Adoramos o restaurante, que é um lugar super autêntico na sua simplicidade a grandiosidade de oferecer uma ótima comida feita com tempo pelas mãos de dona Teresa (esposa do Chico). Uma experiência que pode levar muita gente diretamente pra sua infância!

Vá lá: Avenida Rio Branco, 2463 – Caxias do Sul, RS
Telefone para reservas: (054) 3283-1226 ou (054) 9628-0240. E-mail: chico.domel@hotmail.com

Il Rifugio Del Goumet

Esse é um lugar que tem um nome bem apropriado: ele fica ‘escondido’ no caminho entre Caxias do Sul e Flores da Cunha, numa rota chamada “Caminhos da Colônia” e oferece excelente gastronomia italiana. Ali, o chef italiano Giuseppe Giudizi escolheu morar e abrir seu restaurante, onde recebe turistas para o almoço somente aos domingos – o menu é sempre publicado durante a semana na fanpage do Rifugio.

O chef saiu da Itália há oito anos e, hoje, é casado com uma brasileira. A comida de lá é muito boa, mas o grande destaque foram os embutidos que eles servem como antepasti (dez tipos de queijos mais quatro tipos de curados: cotechino, copa, prosciutto, prosciutto defumado, funghi porcini, tomatinho picante, berinjela e abobrinha com tempero mediterrâneo, cenoura glassada, crostino com patê de fígado e crostino com atum do bosque, tudo incrível e bem à tradição da região da Toscana). O custo da refeição fica em torno de R$ 75 por pessoa, e o local onde é o restaurante é de tirar o fôlego, uma região linda! O restaurante também oferece Wi-Fi e piso aquecido.

Vá lá: São Luiz da Nona Légua – Travessão Aliança – Caminhos da Colônia – Caxias do Sul/RS
Telefone para reservas: (054)3019-0881. E-mail: profiloetrusco@gmail.com

Outros passeios que podem ser feitos por ali

Caxias do Sul não é conhecida por ser uma cidade turística, seu grande mote é a privilegiada localização que tem. Pólo da indústria e comércio da Serra Gaúcha, ela é uma boa base ou bom ponto de partida para quem deseja conhecer os seguintes locais: Bento Gonçalves, os Caminhos de Pedra e o Vale dos Vinhedos (distância de 60 km), Garibaldi e sua Estrada do Sabor (60 km de distância), Antônio Prado (60 Km), Farroupilha (distância de 35 km), e o viajante pode tranquilamente fazer bate-e-voltas para Gramado Canela (60 Km), São Francisco de Paula (120 KM), Cambará do Sul (130 Km) e São José dos Ausentes (180 Km). Para quem quiser um passeio mais zen, o Templo Budista de Três Coroas (85 Km) também é uma boa opção.

Fizemos outra viagem curtinha que dá pra fazer a partir da hospedaria Rio do Vento – Flores da Cunha (30 Km). No domingo, fomos beber um vinho na belíssima Vinícola Luiz Argenta (Avenida Vinte e Cinco de Julho, 700 – Centro, Flores da Cunha) – e depois fomos almoçar no ótimo restaurante Clô, que fica dentro da vinícola. Com projeto da super e competentíssima arquiteta Vanja Hertcert, o restaurante tem uma vista espetacular para os vinhedos e conta com um serviço caprichado. No menu há 3 opções de sequência e a quantidade de comida é bem generosa, além de ser muito bem feita também! Achei o custo/benefício do Clô muito bom! Ah, minha pedida foi um tibone de babar (sabe a bisteca florentina?) acompanhado de legumes grelhados e a Letícia foi de codorna, também aprovada!

Para quem quiser fazer estes passeios bate-e-volta, sugerimos alugar carro ainda em Porto Alegre ou então em Caxias do Sul pela RentCars e Rental Cars, duas empresas super confiáveis e com boas taxas.

E você? Tem dicas de viagem para Caxias do Sul? Conte pra gente aqui nos comentários, a região é bem rica em programas, sugira o seu favorito aqui!

_____

Recomendados pelo blogueiro para uma viagem perfeita
Alugue seu carro com Rental Cars ou RentCars
Reserve seu hotel
Compre seu ticket de trem
Evite filas comprando ingressos antecipados
Organize passeios nas cidades e arredores
Reserve seu voo
Viaje tranquilo com seu seguro viagem Real Seguros, Mondial Assistance ou World Nomads
Serviço de câmbio confiável e com boas taxas, com desconto para leitor do Viajando: Confidence

__

banners05animado01

Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *