Viagem para Belém – onde ficar, o que fazer e como descobrir o melhor da capital do Pará

Atualizado por em 14/08/2017

Rogério Milani

Vem saber como foi nossa viagem para Belém e pegar super dicas de passeio, hospedagem, como ir pra Marajó e muito mais!

Viagem para Belém

Viagem para Belém

Eu sempre quis conhecer Belém do Pará e Marajó. Primeiro pela cultura, absolutamente diferente daquela em que cresci e fui criado, prova da pluralidade e riqueza natural do nosso país. Sempre fui um curioso e apaixonado por gastronomia, e esse era outro aspecto que sempre me atraiu na região. Queria provar o tacacá, o bacuri, o jambu, o cupuaçu e os inimagináveis sabores locais! Queria também conhecer o famoso mercado Ver-o-Peso, conferir de perto toda a diversidade que encanta os turistas que viajam pra lá – e a viagem foi ainda melhor do que eu imaginava!

Por todos estes motivos, nem hesitei quando encontrei uma passagem em promoção pela Gol por inacreditáveis R$ 360 (ida e volta) e me programei para ficar cinco dias lá com a Letícia, minha esposa! O ideal, na minha opinião, seria ficar ao menos sete dias por lá, principalmente para poder curtir a Ilha de Marajó com calma. Não dispúnhamos de todo este tempo, então decidimos ir e aproveitar ao máximo o período de cinco dias em Belém e Marajó!

O voo foi mais rápido do que eu esperava, vou dizer isso já de cara! Em seis horas de viagem, chegamos até lá – foram duas horas e meia até Brasília, mais uma hora parado lá e duas e meia até Belém. Bem mais tranquilo do que eu imaginei! E, se partir de São Paulo, são apenas três horas e meia! 🙂 Se você ficar de olho nas promoções das companhias aéreas, consegue sim bons preços como a gente, fica esperto!

Viagem para Belém

Onde ficamos em Belém

Nosso hotel em Belém foi o Atrium Hotel Quinta De Pedras. O hotel é lindo e está em um prédio histórico construído em pedra – ali antes funcionava uma escola. O espaço foi todo adaptado para se transformar em um hotel e a decoração também é maravilhosa! O hotel tem uma super nota boa no Booking (8,9!) e é cinco estrelas, e gostamos bastante do fato de ser um colégio todo reformado e ter sido reformado com extremo bom gosto e bem contemporâneo! Então quisemos passar nossas quatro noites em Belém lá!

Viagem para Belém

Confesso que tivemos alguns problemas no hotel – o primeiro foi ruído no quarto, que vinha ou do exaustor ou do gerador. Eu sempre levo protetor auricular em minhas viagens e durmo numa boa quando acontecem episódios assim, mas dessa vez esqueci de levar e sofri! No dia seguinte, pedimos pra trocar e o outro quarto também apresentava o mesmo problema. No terceiro quarto, o silêncio imperava, porém o que nos atrapalhou foi a falta de ventilação – e para quem sofre de rinite, isto é terrível… Como costumamos ser super de boa com hotéis e seus eventuais problemas, estávamos até nos sentindo meio ‘culpados’ e decidimos ir embora do hotel, apesar de todo carinho do staff e de tudo o que fizeram para nos ajudar.

Foi quando conhecemos a gerente Juliana que, super solícita, não nos deixou fazer isso e resolveu de vez o problema. A boa vontade dela era visível e também acabamos fazendo outras sugestões que achamos que podem fazer a diferença na melhoria do hotel, como mais comidinhas típicas no café da manhã, algo que os turistas certamente amariam, local do café da manhã menos congelante (o ar-condicionado transforma a sala num freezer) e, claro, que eles possam resolver o problema dos ruídos em alguns quartos. Mas se você, como nós, quiser investir e ficar neste charmoso hotel, recomendo os quartos com numeração em torno do 206, pois não tem ruídos e são super bem ventilados!

Viagem para Belém

Sobre a localização, achamos ela bacana: o hotel fica bem próximo de algumas atrações, como o Mangal das Garças, porém é relativamente longe de lugares como o Ver-o-Peso e a Estação das Docas, algo em torno de 7 minutos de taxi/uber até lá! E, de forma geral, foi uma boa experiência. Eu indicaria o hotel para um amigo porque acho que eles tem tudo para tornar a experiência lá incrível, se eles acertarem estes detalhes. Mas se você preferir ficar pelo centro de Belém, boas sugestões são o Radisson ou então o central e super em conta Portas da Amazônia.

Como se locomover

Nós andamos por lá somente usando o Uber ou táxi. Achei, aliás, os preços dos dois bem parecidos – e o táxi ainda tem a vantagem do taxista, que geralmente conhece bons restaurantes e lugares ainda desconhecidos dos inexperientes motoras de Uber. Depois de largar as malas no hotel, fomos curtir o primeiro dia da nossa super trip por Belém!

Mercado Ver-o-Peso

Começamos o dia no clássico Mercado Ver-o-Peso. Um deleite de cheiros, sabores, cores, pessoas de todas as classes sociais e tipos… Na nossa opinião, uma experiência riquíssima para se viver em Belém! Passeio obrigatório, onde encontra-se tudo que compõe da cultura do Pará. Pode-se provar comida típica, frutas diferentes, comprar presentes para toda família e lembrancinhas, peixe fresco, bebidas locais, remédios e ervas diversos…. Lá se vê desde da culinária ao artigos culturais.

Viagem para Belém

O mercado é separado por temas e o movimento no Mercado Ver-o-Peso, cuja estrutura de ferro foi trazida da Europa no século 19 (durante o período áureo da borracha), começa às 3h30 da madrugada. Nesse horário, pescadores começam a descarregar suas mercadorias – pirarucus, dourados, pescadas, traíras, tucunarés… Entre 6h e 14h, os comerciantes oferecem o que há de mais fresco em matéria de pescados. Do lado de fora, a feira livre, o dia todo, tem centenas de barracas que vendem frutas regionais, raízes, temperos, ervas, óleos medicinais, artesanato e muita comida típica, como tacacá e maniçoba.

Viagem para Belém

A feira é um misto de cheiros, sabores e cultura, contando com um mercado com uma linda arquitetura e localização privilegiada à beira do rio, vale a pena conferir mas é um passeio que indico pra quem, como eu, curte passear em Mercados Públicos em suas viagens. Uma atração indicada pelos locais é passar algumas horas na plataforma das barracas de comidas, tomando uma gelada com peixe frito, camarão ou outros petiscos típicos. Os paraenses de verdade costumam ir mesmo na parte da manhã para comer peixe frito, acompanhado por generosas porções de açaí. E como todos já sabem, vai esquecendo o açaí como é feito no resto do Brasil, com açúcar, granola, banana. Lá ele é consumido in natura, amargo, acompanhando peixe.

Vá lá: Mercado Ver-o-Peso. Endereço: Av. Blvd. Castilhos França, S/N – Comércio, Belém – PA. Horário de funcionamento: Todos os dias, das 7h às 18h. Telefone: (91) 99624-4910

Estação das Docas

Viagem para Belém

A Estação das Docas fica super pertinho do Mercado Ver-o-Peso, e é um lugar lindo, que foi recentemente todo reformado e modernizado. Cheia de restaurantes e barzinhos legais, a Estação das Docas é um lugar muito bonito para se conhecer e ter uma real impressão de Belém numa paisagem de tirar o fôlego. Ambiente aconchegante, bons restaurantes, o melhor chopp artesanal do norte do país e rende ótimas fotos!

Gostamos tanto que acabamos voltando no final de tarde, pra curtir um belo pôr-do-sol e ver como o clima do local muda, com vários lugares que tem música ao vivo… Baita passeio pra se fazer em Belém!

Vá lá: Estação das Docas. Endereço: Av. Boulevard Castilhos, Belém, PA. Horário de funcionamento: Todos os dias, das 9h às 23h. Telefone: (91)98761-1140

Remanso do Bosque

Depois destes passeios, decidimos almoçar no Remanso do Bosque, referência em todo o Brasil quando o assunto é culinária local! Ali, os ingredientes típicos da comida paraense são apresentados de maneira original e com toques de requinte, sem perder a regionalidade. Deu vontade de pedir o cardápio todo! A maior parte dos pratos serve apenas uma pessoa, mas também têm opções para duas pessoas.

Viagem para Belém

Nós começamos pedindo drinks – as caipirinhas da casa são famosas e tem ingredientes inusitados, como o jambu, cupuaçu e outras delícias do Pará. Eles também servem o Jambú Sour, que é delicioso e deixa a boca levemente dormente, e o Moca Mule, versão paraense do Moscou Mule com vodka, manga, limão siciliano, bitter e espuma de gengibre. Impossível resistir!

Viagem para Belém

A proposta do chef Thiago Castanho é contemporizar as receitas locais com ingredientes super frescos da região! Pedimos uma entrada e filhote assado como prato principal, um prato simplesmente fantástico, indescritível até! De sobremesa, uma panna cotta de baunilha amazônica com calda de bacuri… Só de lembrar já fico feliz de tão bom que era!

 

Viagem para Belém

Enfim, comer no Remanso do Bosque é revisitar um mundo de sabores regionais, com delícias milimetricamente criadas para conquistar seu cérebro. Não vá esperando o melhor de um cardápio internacional e sim o melhor do mundo da região Norte, das entradas às sobremesas, dos drinques aos pratos principais.

O restaurante tem uma atmosfera rústica muito simpática misturada a uma bela decoração. Ao contrário do que possa parecer, os preços não são exorbitantes e vale muito a experiência de uma cozinha premiada! E há uma lojinha na entrada com produtos típicos. Não saia de lá sem levar seu doce de bacuri ou cupuaçu ou, ainda, o chocolate de Combu!

Nossa inesquecível panna cotta!

Vá lá: Remanso do Bosque. Endereço: Av. Rômulo Maiorana, 2350 – Marco, Belém – PA. Telefone: (91) 3347-2829
Horário: Fecha às segundas-feiras. Nos outros dias, das 11:30–15:00 e das 19:00–23:00.  Telefone: (91) 3347-2829. Instagram | Facebook

Feliz Lusitânia

Depois desta experiência gastronômica inesquecível, resolvemos dar uma caminhada e passear pelo famoso Complexo Feliz Lusitânia, parada obrigatória para os turistas que visitam Belém. O complexo fica na região mais antiga de Belém do Pará e abriga o Forte do Presépio, a praça Dom Frei Caetano Brandão, a Casa das 11 Janelas, a Igreja de Santo Alexandre (Museu de Arte Sacra) e a Catedral Metropolitana de Belém.

E por que este nome? “Feliz Lusitânia” era uma denominação usada por colonizadores portugueses para o núcleo inicial do município de Belém, situado no centro histórico e região mais antiga do município de Belém do Pará, o bairro da Cidade Velha. 🙂

Viagem para Belém

Outro destaque do Complexo Turístico Feliz Lusitânia é o prédio que deu lugar à Casa das Onze Janelas, originalmente projetado pelo arquiteto italiano Antonio Landi no século XVIII. No local, o visitante pode apreciar um pequeno acervo de arte contemporânea, importante referencial para as regiões Norte e Nordeste, vale muito a pena conferir!

No Forte, o turista tem acesso a uma vista privilegiada para a baía do Guajará. O local tem também o Museu do Encontro, onde estão os vestígios arquitetônicos de vários períodos da fortaleza, além de objetos de cerâmica tapajônica e marajoara. Confesso que o museu nos surpreendeu positivamente, com obras interessantíssimas que demonstram bem a riqueza cultural deste povo!

Viagem para Belém

Vá lá: Complexo Feliz Lusitânia. Praça Frei Caetano Brandão, 117, Belém/PA. Horário: De terça a domingo, das 10h às 20h. Feriados, das 9h às 13h. Telefone: (91)4009-8828

Amazon Beer

No fim de tarde, voltamos para conferir o fim do dia no Mercado Ver o peso e curtir um belo pôr-do-sol na Estação das Docas… Aproveitamos para beber uma fantástica Amazon Beer no bar da própria cervejaria, que fica nas docas e tem uma decoração super bacana!

Viagem para Belém

Instalado na Estação das Docas – centro de lazer e gastronomia – bem de frente para a Baía do Guajará, o visual é um show à parte. E as cervejas artesanais da Amazon Beer são um capítulo à parte – basta mencionar alguns dos seus nomes pra se ter ideia da variedade de sabores (Sout Açaí, Red Ale Priprioca, Witbier Taperebá…). Fizemos questão de experimentar todas em nossa viagem para Belém e viramos superfãs da Amazon Beer!

Viagem para Belém

Aliás, a cervejaria é sucesso não apenas por ser pioneira em trazer ingredientes amazônicos às cervejas, mas também pela diversidade de pratos regionais que marcam presença em seu cardápio. Nós acabamos jantando por lá e curtindo muito um show ao vivo – pedimos vários petiscos e comemos vatapá de pato com tucupi! Uma baita experiência!

Vá lá: Amazon Beer Bar. Endereço: Rua Boulevard Castilhos França,, s/n – Estação das Docas, Belém – PA. Horário: segunda a sexta-feira, das 17h até a 1h da manhã, nos sábados e domingos do meio-dia até a meia-noite. Telefone: (91)4009-8828. Site | Facebook | Instagram.

Depois disso, voltamos pro hotel pra descansar – no outro dia, precisávamos acordar cedinho para ir à Ilha de Marajó.

No próximo post da nossa viagem para Belém, saiba como foi nossa ida para Marajó, com várias dicas de passeios por lá! Até lá!

____

Recomendados pelo blogueiro para uma viagem perfeita
Guias, transfers, hospedagens e outros serviços para uma viagem tranquila e segura
Alugue seu carro com Rental Cars ou RentCars
Reserve seu hotel
Compre seu ticket de trem
Evite filas comprando ingressos antecipados
Reserve seu voo
Viaje tranquilo com seu seguro viagem Real SegurosMondial Assistance ou World Nomads
Serviço de câmbio confiável e com boas taxas, com desconto para leitor do Viajando: Confidence

_____

banners05animado01

Tags

2 Comentários

  1. Ótimas dicas!

    Comente
    • Rogerio Milani

      Grande Altier! Valeu! Em breve teremos mais posts sobre Belém e também Marajó, fica ligado!

      E continua o ótimo trabalho no Pé na Estrada!!! Parabéns!

      Abração!

      Comente

Trackbacks/Pingbacks

  1. Dicas de Belém - […] contei como foi nosso primeiro dia na capital do Pará, nosso passeio pela Ilha de Marajó e, agora, chegou…
  2. Dicas para conhecer a Ilha de Marajó - […] nosso segundo post da minha viagem para o Pará, confira as melhores dicas para conhecer a Ilha de […]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *