Tudo sobre Nova York: o que fazer, transporte, alimentação, hospedagem e muito mais dicas

Atualizado por em 23/11/2017

Manuela Colla

Oito milhões de habitantes vindos de todas as partes do mundo, mais de 400 estações de metrô, mais de 50 milhões de visitantes do mundo todo que desembarcam ali anualmente… Nova York é apaixonante! O destino ideal para quem ama cultura, gastronomia e agito, já que a cidade nunca dorme e tem atrações para simplesmente todo tipo de turista. Muitos brasileiros vão pra lá atraídos pelas compras e também pelos arranha-céus e pontos turísticos icônicos – e, pra onde se olha, você vê um! A cidade é daqueles destinos para ser visitado várias vezes, é impossível ver tudo numa ida só!

Tudo sobre Nova York_dest_Viajando bem e barato

Foto: Matthew Wiebe

Antes de visitar: conhecendo tudo sobre Nova York

Nova York é formada por cinco grandes áreas: Staten Island, Queens, Bronx, Brooklyn e Manhattan, que reúne os mais famosos pontos de interesse da cidade e as maiores atrações para turistas. Nessa ilha fica a iluminada (e muvucada!) Times Square, com seus letreiros incessantes que pipocam centenas de fotos do Instagram por minuto. Uma ida ao Empire State, que já foi o mais alto do mundo, ou ao Top of the Rock, são ideais para permitir entender a grandiosidade da cidade.

Outro ponto turístico amado é a Estátua da Liberdade, símbolo de esperança para os imigrantes que chegaram aos Estados Unidos e o Central Park, um parque enorme no coração de Manhattan ideal para um picnic no meio da semana. Há quem economize para assistir um espetáculo musical da Broadway (são muitos!) há quem prefira apenas visitar museus como o MET (Metropolitan Museum of Art) e o MoMa (Museu de Arte Moderna) e atravessar a Brooklyn Bridge. Como Manhattan é uma ilha, a água faz parte do cenário da cidade; de um lado está o rio Hudson e, do outro, o rio East, onde estão a Brooklyn Bridge e Manhattan Bridge, dois cartões postais mundialmente famosos. Independentemente da sua escolha, uma coisa é certa: Nova York vai roubar seu coração e você vai querer voltar sempre!

Tudo sobre Nova York
Como chegar e se locomover em NYC: dicas de transporte

A primeira coisa que temos pra dizer é: se você quer ir pra Nova York é que a cidade foi feita pra caminhar – e muito. Sempre acreditamos que essa é a melhor forma de conhecer seus destinos de viagem como um local. E a cidade está cheia de atrações, lojinhas escondidas e uma surpresa a cada esquina. E Manhattan, onde NYC ferve, tem um esquema de organização de ruas bem simples de entender. As avenidas cortam a ilha verticalmente e as ruas cortam horizontalmente. As avenidas “crescem” de leste (east) para oeste (west); são elas: 1st Avenue, 2nd Avenue, 3rd Avenue, Lexington Avenue, Park Avenue, Madison Avenue, 5th Avenue, Avenue of the Americas (6th Avenue), 7th Avenue, 8th Avenue, 9th Avenue, 10th Avenue, 11th Avenue e 12th Avenue. Já as ruas, que são numeradas em 1St, 2St etc., crescem do sul para o norte da ilha. Quando algo fica na parte sul de Manhattan, nos referimos a ela como “Downtown” e quando algo fica no norte (parte de cima da ilha), “Uptown”. Por isso, quando queremos entender um endereço, muita gente usa referências, como “9th Avenue, entre 33St e 34St – assim fica mais fácil se localizar.

Metrô

O metrô de NYC é uma boa forma de ir aos pontos turísticos mais distantes da sua hospedagem quando você estiver cansado de caminhar pela vizinhança. Mas não espere estações modernas e limpas: o metrô é amplamente usado pelos nova-iorquinos mas só porque é prático e barato. Logo mais abaixo explicamos detalhadamente como comprar o MetroCard e qual o melhor plano pra cada pessoa.

As linhas de metrô cruzam Manhattan de norte a sul e, às vezes, se encontram. Os trens seguem sempre o sentido Downtown (parte de baixo da ilha) ou Uptown (parte de cima). As linhas costumam seguir o trecho norte-sul e não o leste-oeste, então, se você está em um ponto no extremo leste de Manhattan e deseja ir ao extremo oeste, provavelmente uma única linha de trem não servirá, e às vezes, dependendo do caso, pode valer mais a pena ir a pé do que utilizar o metrô. Uma boa dica é: ao reservar seu hotel, confira qual a estação de metrô mais próxima e já programe os itinerários dos seus passeios a partir daí.

Ônibus

Pouco se fala dos ônibus em Nova York, mas eles são uma opção barata de transporte pela cidade (cada passagem custa U$ 2,50) e, se a pessoa compra o passe ilimitado de metrô, tem direito a usar as linhas de ônibus gratuitamente também. Isso é ótimo porque os dois transportes se complementam em muitos momentos! Confira aqui o mapa das linhas de ônibus da cidade.

Na parada de ônibus, confira quais param ali nas plaquinhas azuis e faça sinal pro seu ônibus parar. Ao entrar no ônibus, tenha seu MetroCard em mãos para não atrasar outros passageiros. Para pedir pra descer, o sistema é o mesmo do Brasil: puxe a cordinha. Não adianta esperar por aviso do motorista: fique atento às ruas e mãos no mapa ou aplicativo de ruas da cidade! Ah, e uma dica: as portas do ônibus não abrem automaticamente para você descer como no Brasil, elas precisam ser empurradas – localize a barra horizontal amarela, aperte-a e mantenha-a assim até descer da condução. Para ótimas dicas de como pegar ônibus em NYC, confira este post do Fred, do SundayCooks.

Tudo sobre Nova York

Táxi

A tarifa regular das corridas começa a $2,50 e cresce $0,40 a cada 320m. Um imposto também é cobrado e adicionado ao valor final da corrida. Vale sempre pedir para o taxista pegar um caminho que você considera que está mais vazio – para saber como está o trânsito, procure utilizar aplicativos no celular como o Google Maps.

Para ter uma noção de quanto irá pagar em uma corrida de táxi, clique aqui. Não se esqueça de dar uma gorjeta: o mínimo é 15% do total do seu gasto.

Coisas para fazer de graça em Nova York

Como ir do aeroporto até o seu hotel: chegando em Nova York e se locomovendo pela cidade

São três os aeroportos de Nova York: John F. Kennedy, que fica no Queens, o LaGuardia, também no Queens e o Newark Liberty International Airport, que fica em New Jersey, estado vizinho de NYC. O primeiro, também conhecido como JFK, é o mais utilizado, seguido pelo LaGuardia, que fica melhor localizado.

Táxi

Geralmente, quem chega pelo movimentadíssimo JFK pega um táxi até seu local de hospedagem – a tarifa é fixa para qualquer lugar de Manhattan ($60). A maioria dos táxis transporta quatro passageiros, mais malas, mas há alguns táxis maiores que podem carregar até cinco passageiros. Claro que essa é a opção mais confortável, afinal, é só sair do terminal de desembarque e procurar as placas de táxi que logo você encontrará um táxi para te levar ao seu destino. Até Manhattan, o trajeto demora mais ou menos uma hora – claro que isso depende do trânsito, que pode ser bem intenso nos horários de pico.

AirTrain + transporte público

Se você chega pelo JFK ou pelo Newark, outra forma é pegar um AirTrain, um monotrilho que circula 24h por dia e está ligado ao transporte público da cidade através de baldeação.

AirTrain + Metrô
Para usar o AirTrain em direção ao seu hotel em Manhattan, siga as placas (o aeroporto é bem sinalizado) para pegar o AirTrain e desça na Jamaica Station. Quando sair da estação, você pagará o preço do ticket do AirTrain ($5) nas máquinas de atendimento que ficam ali no saguão. Depois disso, você estará pronto para comprar seu ticket individual de metrô ou já investir num MetroCard (confira neste post completo aqui do blog como comprar seu MetroCard e para quem ele vale a pena). Na estação de metrô, pegue a linha E para ir a Midtown (Penn Station) e as linhas J e Z para ir a Lower Manhattan/Brooklyn. Se você é novato no metrô, precisa ficar atento às placas Uptown e Downtown e conferir em que parte da cidade fica seu hotel, ok? Outra opção é pegar o AirTrain e ir até a Howard Beach Station e então pegar o trem A para Manhattan.

A opção mais utilizada entre os turistas que querem ir para a área da Times Square, zona de hospedagem preferida dos turistas brasileiros, é a combinação Airtrain – Jamaica Station – Linha E.

AirTrain + LIRR (Long Island Rail Road)

Sem dúvida, a opção mais rápida entre o JFK e Manhattan – em 20 minutos você completa seu trajeto. O LIRR é um trem rápido que passa pela Penn Station, uma estação de trem localizada na 33rd St/8th Ave, que também está interligada ao metrô. A Penn Station é bem central e essa pode ser uma excelente opção para chegar na cidade de forma mais barata. O mapa da mina é pegar o AirTrain até a Jamaica Station e, chegando na estação, você pega o LIRR até a Penn Station. O LIRR custa entre $7 e $9,50 (a depender do horário que se pega o trem) e o AirTrain custa mais $5.

Tudo sobre Nova York

Ônibus

Uma opção válida para quem não tem tanta pressa e tem disposição para economizar. A empresa que faz este transporte chama-se NYC Airporter e você pode conferir os horários e preços no aplicativo deles (disponível pra Apple e Android) e ainda ganhar desconto de 10% se marcar suas passagens por ali. O preço da passagem entre o aeroporto JFK e Port Authority é $16 e, dali, você pode pegar o subway pro seu hotel normalmente.

Shuttle

Outra opção para chegar dos aeroportos até seu hotel são os shuttles oferecidos por algumas empresas como a Super Shuttle e a Go Airlink e, dependendo da empresa escolhida, seu trajeto pode custar $20. Para os viajantes mais prevenidos, a dica é fazer sua reserva diretamente no site deles, antes de sair do Brasil, e viajar tranquilo e com a certeza de economizar quando chegar em Nova York.

Como comprar cartões de transporte e turismo

Cartões de transporte – MetroCard

O MetroCard é o cartão de transporte que você vai usar sem parar em NYC, mesmo se for um daqueles viajantes que ama caminhar. Aqui no blog tem um passo-a-passo com fotos de como comprar o MetroCard para turistar na cidade.

O MetroCard é recarregável e pode ser comprado em diversas modalidades, de acordo com suas necessidades e pode ser adquirido em qualquer estação de metrô da cidades nas máquinas de autoatendimento. Eu uso o o cartão 7-Day-Unlimited, que te dá direito a sete dias de viagens ilimitadas pela cidade. Para saber se vale a pena pra você, é preciso fazer o seguinte cálculo: em uma semana, você fará mais de 12 viagens unitárias? O “Single Ride Ticket” custa $3 e, se você multiplicar por 12 viagens, vai sair por US$ 36. Na opção “7-Day Unlimited”, as mesmas viagens custarão somente US$ 30. Se você for um viajante de fôlego e usar mais de 12 trajetos de metrô pro semana, esse cartão individual vale mais ainda.

Confira os custos dos diferentes MetroCards:

7-Day Unlimited (uso do cartão durante 7 dias, sem limitação dos trajetos) – US$ 31 (o $1 é da taxa do cartão)

7-Day Express Bus Plus – US$ 57,25

30-Day Unlimited (uso do cartão durante 30 dias, sem limitação dos trajetos) – US$ 116,50

Single Ride ticket (passagem avulsa) – US$ 3

As linhas de metrô de Nova York dividem-se por cores – linhas amarela, laranja, verde, azul, vermelha, cinza, marrom e roxa. Há também outras duas categorias: os trens locais (os que param em praticamente todas as estações de metrô daquela linha), e os trens expressos (linhas que “pulam” estações para chegar mais rápido à outras). É preciso ficar atento pois, em dias especiais, isso pode ser alterado e só há os avisos sonoros das estações para te avisar disso.

Mapa do Metrô

Para ver o mapa do metrô em tamanho grande, clique aqui.

Cartões de turismo

Os dois cartões de turismo mais conhecidos para quem viaja a Nova York são o New York City Pass  e o New York Pass. O NY City Pass permite conhecer seis pontos turísticos da cidade em uma semana, já o NY Pass permite conhecer mais de 80 atrações e pode ser utilizado em períodos de um dia a uma semana (cada um com um preço). Em nossa opinião são tipos de ingressos que têm certa utilidade, principalmente para não ter que pagar na hora de comprar cada ingresso, mas, via de regra, eles são mais vantajosos financeiramente para quem fica pouco tempo em Nova York.

O que está incluído no New York CityPASS:

1 – Visita ao Empire State Building
2 – Museu Americano de História Natural
3 – The Metropolitan Museum of Art
4 – Deck de Observação do Top of the Rock ou Museu Guggenheim
5 – Estátua da Liberdade e Ilha Ellis ou Cruzeiros da Circle Line
6 – Memorial & Museu do 11 de setembro ou Museu Intrépido do Mar, Ar & Espaço.
O que está incluído no New York Pass são 80 atrações. As dez mais visitadas são:
1 – Passeio Hop-on Hop-off da Big Bus.
2 – Empire State Building.
3 – Observatório do Top of the Rock
4 – 9/11 Memorial & Museu.
5 – Museum of Modern Art (MoMa)
6 – Circle Line Sightseeing Cruises.
7 – Central Park Sightseeing Bike Tours & Rentals.
8 – Madame Tussauds
9 – Estátua da Liberdade
10 – Intrepid Sea, Air & Space Museum

E qual dos dois vale mais a pena?

– O New York Pass de uma semana custa US$ 200 (o de três dias custa US$ 150; o de um dia, US$ 85) e, com ele, você pode visitar 80 atrações. Pode ser uma baita fria e um pega-turistas, já que são muitas atrações para pouco tempo. E tem outra desvantagem: este passe não livra você da fila, já que seus cupons funcionam como vouchers – você tem que entrar na fila da bilheteria e trocar o voucher pelo ticket de entrada.

– O New York City Pass custa US$ 109 e é o melhor dos dois, na nossa opinião. Com ele, você tem nove dias para visitar seis atrações – algo bem razoável, sem correrias pra lá e pra cá. Você pode bater ponto no Metropolitan (e ir ao Cloisters no mesmo dia), no Moma, no Museu de História Natural, no Empire State Building (Observation Deck do 86º andar; para ir ao 102º paga-se um extra de US$ 15 no local), e escolher entre o Guggenheim OU o Top of the Rock, e o passeio à Estátua da Liberdade (sem subida à Coroa) OU um cruzeiro pela Circle Line. Sim, esses dois últimos cupons são alternativos: você precisa optar entre uma das duas atrações do cupom. O cupom funciona como ticket; é só apresentar na entrada de cada atração, sem precisar passar pela bilheteria, eliminando assim uma fila em cada visita.

Tudo sobre Nova York

Conhecendo os arredores de NYC – dicas de passeio de um dia

Filadélfia

Na Filadélfia foi assinada a independência que deu origem aos EUA como país, ou seja, a cidade é um ótimo destino de viagem para quem curte história e também a cultura americana como um todo.

Como chegar

Trem

A empresa que opera este trecho é a Amtrak e o trecho demora 1h30 minutos (de trem convencional), a partir da Penn Station. Um ótimo esquema é pegar o trem das 8h10 (que chega às 9h35) e voltar no das 18h45 (de volta a Nova York às 20h07). O último trem sai às 23h15. Dica: simule viagens e compre as passagens no site da Amtrak; pode-se conseguir passagens a partir de US$ 39 por trecho se você comprar com antecedência.

Ônibus

Algumas empresas como a HGTBus, a BoltBus e a WandaCoach operam este trecho e a duração costuma variar de acordo com o trânsito. O tempo estimado de viagem é de duas horas e o preço fica em torno de U$ 15 ida e volta. Os pontos de partida dos ônibus são diferentes e você confere diretamente no site das empresas.

As maiores atrações

Liberty Bell
Independence Hall
Philadelphia Museum of Art
Franklin Institute
Old City
Reading Terminal Market
Library Hall
Museu Rodin

Conheça mais sobre a cidade e suas atrações aqui.

Tudo sobre Nova York

Washington DC

Washington é a capital dos Estados Unidos e é cheia de atrações turísticas – as duas mais famosas são a Casa Branca e o Capitólio. Dificilmente alguém viajariam para os Estados Unidos só para conhecê-la, então, é uma boa alternativa de bate-e-volta a partir de NYC para conhecer alguns dos monumentos mais famosos do mundo e aproveitar melhor sua viagem aos EUA, conhecendo mais de um destino.

Como chegar

Avião

Algumas empresas operam este trecho com voos low-cost como a JetBlue, mas essa opção só compensa se você pegar o voo em um aeroporto dentro de NYC como o La Guardia – o Kennedy e o Dulles são tão longe que compensa mais ir de trem. A média de preço de um voo destes em uma low cost varia de U$ 80 a U$ 100 e, se essa for sua escolha, lembre-se de ler as regras de embarque no site de casa companhia aérea e também que precisa chegar 1h antes no aeroporto, ok?

Trem

A empresa que opera este trecho é a Amtrak e o ideal é você comprar esta passagem antes de sair do Brasil, com antecedência, pois na hora o trecho costuma custar muito mais caro. É a forma mais rápida de fazer a viagem NYC > Washington sem ser por via aérea e os trens são bem confortáveis. Há duas opções: o trem normal e o express – a viagem com o normal dura cerca de 3h30min e, com o expresso, 2h50min.

Ônibus

É claro que esta é a opção mais barata – e a mais demorada também – de fazer este trecho. A viagem NYC > DC costuma demorar cinco horas e esse tempo varia bastante de acordo com o trânsito, que pode ser bem movimentado. As melhores horas para pegar esse ônibus são de manhã cedo e à noite e, se achar mais cômodo, pode contratar um pacote bate-e-volta – algumas empresas como a BestBus, a BoltBus e a MegaBus oferecem esta facilidade e a média de preço é U$50.

As maiores atrações

Casa Branca
Capitólio
National Mall
Lincoln Memorial
United States Capitol
Galeria Nacional de Arte
Museu do Ar e do Espaço
Memorial dos Veteranos
Newsweum

Conheça mais sobre a cidade e suas incríveis atrações aqui.

Tudo sobre Nova York

Woodstock

Todo fã de música e de belas paisagens deveria visitar a pequena Woodstock, que fica em Upstate NYC. A cidade parece ter parado nos anos 60 e é cheia de lojinhas legais, brechós, cultura e isso a torna um destino único de viagem para conhecer melhor a cultura americana. Como toda cidade do interior, tem um “centrinho” onde tudo acontece e belas paisagens mais pro interior. Dizem que o festival de cinema independente de Woodstock é muito legal, confira no site deles as datas de 2018.

Como chegar

Carro

Para ir de carro, é só perguntar ao santo mapa do Google – nós fomos de carro e foi bem sossegado. Para quem quiser fazer o mesmo, indicamos alugar carro pela RentCars e Rental Cars, duas empresas super confiáveis e com boas taxas. Você pega a rodovia interestadual 17, em Nova Jersey e segue até Kingston pela 87, depois pegar a estradinha Mill Hill, que irá lhe deixar no coração de Woodstock.

Ônibus

A opção mais barata para um bate-e-volta é o bom e velho ônibus, como em todos os bate-e-volta que estamos sugerindo aqui. A empresa Adirondack Pine Hill Trailways tem ônibus que sai diariamente da estação rodoviária de NYC, Port Authority, para Woodstock. No site da empresa você confere horários e preços dos ônibus – uma boa dica de horário é sair da cidade às 9h30min e voltar com o das 17h.

Trem

Na minha opinião, não vale a pena ir de trem pois você teria que ir até a Kingston e pegar um ônibus. Se, mesmo assim, quiser arriscar, dê uma olhada no site da Amtrack para ver horários e preços.

Tudo sobre Nova York

Seguro viagem

Tem vontade de conhecer NYC? Uma boa pedida é contratar um seguro viagem, para garantir que você terá atendimento se acontecer algo por lá como uma dor de dente ou um problema nas costas… Se você nunca ouviu falar sobre isso e quer saber mais, leia este post sobre o seguro viagem e todas as dicas para contratar este serviço.

Viaje tranquilo com seu seguro viagem Seguros PromoReal SegurosMondial Assistance ou World Nomads.

Onde ficar em Nova York: dicas de acomodação

Opções de acomodação não irão faltar em NYC. Existem desde opções econômicas como hostels para estudantes e hotéis mais baratos, como bons hotéis confortáveis e bem localizados e também hotéis mais luxuosos no Upper East Side.

Opção econômica

Vanderbilt YMCA – Esse hostel faz parte de uma rede do YMCA e é o mais bem localizado de todos da rede, embora não seja necessariamente o mais barato de todos – o mais acessível é o do Harlem, mas fica longe de tudo, né? O Vanderbilt tem banheiro compartilhado mas ele costuma estar sempre limpo e o staff é bem solítico. Se você não se incomoda em ficar em hostel, pode ser uma boa opção!

HI NYC Hostel – Este hostel é super bem avaliado no Booking e, por isso, precisa ser agendado com muita antecedência devido à ótima combinação custo-benefício. Ele fica a um quarteirão da Broadway e oferece cozinha compartilhada e tem fama de ser suuuper limpo. Vale a pena se adiantar e garantir sua reserva!

The Local Hostel NYC – Esse excelente hostel fica mais afastado, no Queens, mas a quatro minutos a pé da Estação de Metrô Court Square e a 8 minutos de trem da Avenida Times Square. Ele tem lavanderia no local – um diferencial para quem fica mais de uma semana na cidade – e, para quem quer privacidade, oferece quarto duplo com banheiro privativo. E tem decoração moderna que é a cara de NYC e uma tranquilidade fora do comum para um hostel, vale considerar ficar por lá! 🙂

Novotel Times Square – Nesse hotel estilo boutique, o forte é a localização e o atendimento muito solícito dos funcionários. O Novotel fica a cinco quadras da Times Square, perto da estação de metrô e ainda oferece academia e um terraço com vista da Broadway e da Times Square que é de tirar o fôlego.

Tudo sobre Nova York

Opção média

Distrikt – No coração de Manhattan e ao ladinho da Times Square, é um dos locais onde os turistas mais gostam de se hospedar pela localização e movimento constante. Este hotel confortável oferece academia moderna para os hóspedes e é super bem-avaliado no Booking – especialmente por turistas brasileiros, que ama esta localização!

Pod51 – Localizado em Midtown Manhattan, fica perto do Rockefeller Center e numa área da cidade que nunca para, com movimento dia e noite. Tem um terraço perfeito para um drink de fim de tarde e há café da manhã todos os dias e passeios gratuitos oferecidos pelo hotel três vezes por semana.

citizenM New York Times Square – Moderno e com decoração jovem, oferece comodidades como controle digital para tudo no quarto, café da manhã, pub e três terraços para curtir a noite no hotel. Outra qualidade deste hotel é a localização: fica bem no centro de Manhattan, a apenas um minuto a pé da Avenida Times Square e a 5 minutos a pé do Central Park e do Columbus Circle. O Rockefeller Center e o Empire State Building estão a 15 minutos a pé. Perfeição!

The Frederick Hotel – Sempre é a minha escolha quando visito NYC porque é uma combinação perfeita: bem localizado no coração do Lower East Side (TriBeca), ao lado da estação de metrô da Chambers Street e com serviço impecável e decoração clean e moderna. Indico de olhos fechados! E o sinal de Wi-Fi é maravilhoso – perfeito pra quem precisa trabalhar mesmo durante as férias, como eu! Quer saber mais detalhes sobre o The Frederick Hotel, basta clicar aqui!

Tudo sobre Nova York

Opção alto padrão

Crosby Street Hotel – Este hotel charmoso fica numa rua igualmente bela no SoHo e é famoso pelo seu serviço impecável. E é bem localizado – fica do ladinho do Museu de Arte Moderna e da estação de MTA da Spring Street, de onde você vai pra todos os lugares na cidade. Tem terraço, bar e restaurante e academia para os hóspedes.

The Beekman – Esse é um hotel para celebridades, com serviço de primeira e localizado num prédio histórico totalmente reformado e belíssimo, de tirar o fôlego mesmo! Fica a 500 metros da ponte do Brooklyn e pertinho do Distrito Financeiro e do World Trade Center, numa área moderna da cidade. Se você conseguir pagar mais caro ainda, os quartos dos andares superiores são cercados por varandas!

The Pierre, A Taj Hotel, New York – A localização não poderia ser mais alto padrão: no Upper, em frente ao Central Park, a parte mais chique da cidade. O hotel é lindo, extremamente bem-decorado e é tradicionalíssimo. O atendimento é padrão de luxo e o restaurante recém-inaugurado, Perrine já é famoso pela alta gastronomia, assim como o bar/lounge, Two E, com tradicional chá da tarde por dia e jazz ao vivo à noite, de quinta a sábado.

Four Seasons Hotel New York Downtown – Com a qualidade conhecida Four Seasons, esse ótimo hotel fica no bairro de Tribeca, pertinho do One World Trade Center e do Ground Zero. O serviço é cinco estrelas e os quartos são bem grandes para o padrão nova iorquino.

The New York EDITION – Hotel com ambiente impecável e atendimento fora de série. Os quartos são muito amplos, extremamente confortável e com vista para o parque Madison. A limpeza também é destacada pelos hóspedes, assim como o serviço de hotel cinco estrelas. Localização excelente, com muitas opções de restaurantes, fácil acesso ao metrô e perto de muitas atrações.

Onde comer em Nova York: dicas de alimentação

Antes de mais nada, esqueça aquele mito de que americano só come mal! Nova York é um caldeirão de culturas e, claro, isso se reflete na sua rica gastronomia e na oferta enlouquecedora de comida a qualquer hora do dia ou da noite.

Falando de junk food porque, vou ser honesta, não consigo imaginar viajar pra Nova York e não comer um pouco de porcaria! Três tipos de junk food eu considero a cara da cidade: cachorro quente, hamburguer e pizza. Eles fazem parte da vida dos apressados nova-iorquinos e não é raro ver alguém almoçando em pé um lanche ou correndo pra atravessar a rua abocanhando uma enorme fatia de dollar pizza.

Para comer cachorro quente, a pedida é o Greys Papaya (pertinho do Dakota Building e do Central Park e funciona 24h por dia servindo o maior clássico de NYC) e o Nathan’s, que fica em Coney Island e funciona desde 1916 pertinho da orla. Para dollar pizza, a pedida é… qualquer uma! São muitos spots espalhados pela cidade e a maioria serve pizza de queijo deliciosa, quentinha e barata! E, por fim, em matéria de hamburguer, não faltarão opções. Gosto muito do Shake Shack (sempre com grandes filas mas o atendimento é muito bom e rápido – não deixe de pedir batatas fritas como acompanhamento). Five GuysBurguer Joint e Johnny Rockets são outras ótimas pedidas.

Tudo sobre Nova York

Shake Shack

O brunch é outro clássico de Nova York e, aos finais de semana, ofertas não vão faltar pra você se esbaldar nessa mistura de almoço com café da manhã em que é permitido se esbaldar com mimosas, deliciosos drinks que misturam espumante e suco de laranja. Para o brunch, uma boa pedida é uma visita ao tradicional Balthazar, que é lindíssimo, ao Sarabeth’s ou ao Norma’s. Para curtir a vista (sem tanta preocupação com a comida em si), indico o 230 Fifth, um rooftop ótimo que serve bruch aos finais de semana.

O picnic é algo bem nova-iorquino e você encontra excelentes opções de comidinhas frescas e deliciosas pra levar. Uma boa opção de lanche é o Dean & Deluca, onde tudo é orgânico e há muuuuitas opções diferentes de marcas para cada produto. Os pães são deliciosos, o café é impecável e a sessão de queijos e lacticínios é de enlouquecer! Outro lugar perfeito pra isso é a rede de supermercados orgânicos Whole Foods Market – você vai encontrar diversos pontos espalhados pela cidade e tudo lá é sempre fresco, das verduras aos cookies! A variedade de marcas é muito bacana e ir ao Whole Foods (e ao Dean & Deluca) vira passeio. 😉

Tudo sobre Nova York

Dean & Deluca

Outra tradição de NYC são as padarias, onde se pode comer cupcakes, cookies, bagels e outras delícias. Todos os guias de turismo falam da Magnolia Bakery, que ficou mundialmente famosa pelo seriado Sex and the City, mas eu prefiro a Butter Lane, que tem cupcakes incríveis e ainda oferece oficina para quem quer aprender a fazê-los. Para quem ama bagels, indico três fantásticos: Absolute Bagels, Ess-a-bagel e a clássica deli judaica Russ & Daughters. Mas te digo que o bagel da franquia Pret-a-Manger é fantástico e a rede está espalhada por todos os cantos da cidade e tem o melhor sinal de Wi-Fi pra você postar as fotos da viagem enquanto se delicia com um deles, preparados com ingredientes orgânicos.

Tudo sobre Nova York

Se quiser comer um tradicional sanduíche de pastrami e viver a experiência de estar numa delicatessen judaica, duas ótimas opções são o Katz’s (desde 1888 no Lower East Side) e o Carnegie’s, ambos com sanduíches muitos bem servidos – normalmente um único pedido serve duas pessoas. Um restaurante com cardápio variado e ótimos cheesecakes (alguns dizem que seus cheesecakes são os melhores da cidade), vá ao Junior’s e, se quiser algo diferente e moderno, aposte no Keki’s Modern Cakes, que serve bouncy cheesecake japonesa, super leve, saborosa e macia no coração de Chinatown.

Nova York imperdível: o que eu acho que vale a pena conhecer:

1. Central Park – reserve um dia inteirinho pra isso, merece! A área do Sheep Meadows é ideal para tomar um sol e fazer um piquenique.

2. O Museu de História Natural (lembra do filme “Uma noite no museu”?)

3. Se gostar de arte, tem que ir ao MoMA, são seis andares de deleite!

4. Não dá pra não ir no Empire State, né? 🙂

5. Assistir algum espetáculo na Broadway é inesquecível – entre os mais tradicionais estão O Fantasma da Ópera, O Rei Leão, Wicked e Mamma Mia!

6. Atravessar a Brooklyn Bridge a pé e caminhar bastante pelo Brooklyn!

7. Ir para a Times Square – à noite ainda é mais impressionante!

8. Grand Central Terminal é histórica e abarrotada de gente, mas tããão linda!

9. Passear pela High Line, um parque suspenso construído em uma antiga linha de trem.

10. Ver o por-do-sol a partir do Hudson Park ou do o Brooklyn Bridge Park, que fica no East River e tem uma vista linda de Manhattan.

11. Bater perna pela Quinta Avenida e admirar as vitrines das lojas chiquérrimas – quem sabe, tomar café da manhã em frente à Tiffany’s? 🙂

12. Para beber uma cerveja: Old Town Bar (um dos mais antigos da cidade).

13. Ver a Estátua da Liberdade, o maior símbolo americano.

12. Passe um dia em Coney Island se divertindo pelos parques e curtindo o clima vintage – coma um cachorro quente no Nathan’s!

13. Bater perna por Chinatown, Soho e pelo Lower East Side é uma experiência única. Se bater a fome, compre um lanche no Whole Foods Market ou no Dean and Deluca!

14. Ir ao Chelsea Market, um mercado que abriga restaurantes, bares, lojas de alimentos e arte, para entender os nova-iorquinos. Fica no Meatpacking District.

15. Vá se perder na Strand Books, a livraria mais incrível que já conheci!

Tudo sobre Nova York

O que fazer e onde turistar em Nova York: roteiros de três dias com passeios diferentes na cidade

Dia 1

A) Museu de História Natural – Nosso dia começa no Museu de História Natural, onde foi gravado o icônico filme “Uma noite no museu”. Ele é enorme e tem cinco andares de atrações divididos em 50 salas. A atração é incrível para todas as idades mas claro que, se você está viajando com crianças, a atração torna-se imperdível. Imagina só ver ao vivo o esqueleto de um Tiranossauro Rex ou uma réplica gigantesca de uma baleia, que fica no teto da ala marinha? A ala espacial também é mágica. Reserve ao menos uma manhã para o museu.

B) Central Park – O Museu de História Natural fica na Central Park West e, se você quiser, pode ir caminhando por ela até a West 72nd e, nesta esquina, você verá o icônico Dakota Building, onde morava John Lennon. Nesta mesma rua, atravessando a avenida, você vai entrar no Central Park já dando de cara com o monumento C) Strawberry Fields Forever, feito em homenagem ao beatle. Dali, você pode curtir pelo menos este pedaço do imenso parque – vá pelo menos até a bela D) Bethesda Fountain e sente pra apreciar a bela fonte e a paisagem.

E) Greys Papaya – Se você estiver com fome e quiser experimentar um clássico nova-iorquino, minha dica é: saia do Central Park pelo mesmo lugar onde entrou (a entrada da Central Park West com a 72nd) e caminhe pela 72nd até a Broadway, onde você encontra o fantástico Greys Papaya. Simplesmente o melhor cachorro quente da cidade, com preço justo e atendimento simpático (isso sim, raridade na cidade!).

F) The Museum of Modern Art – Depois de espairecer no Central Park, uma ótima opção de museu para visitar é o Museu de Arte Moderna, que fica à Sul do Parque, na 53rd Street, pertinho da Quinta Avenida. O museu merece algumas horas do seu dia se você gosta de arte – ali, você vai ver obras de Van Gogh, Picasso, Andy Warhol, Mondrian, Salvador Dalí, Monet e também obras de Arquitetura, Design, Cinema, Vídeo e Fotografia, Pintura e Escultura, desenhos e gravuras e livros ilustrados num acervo de tirar o fôlego e repleto de arte moderna! Dica: a lojinha do MoMA é ótima para comprar presentinhos pros seus amigos!

G) Quinta Avenida – Depois de tanto ver arte, uma boa caminhada na Quinta Avenida para ver as vitrines das lojas mais luxuosas da cidade pode ser divertido – especialmente para tirar aquela famosa foto na frente da joalheria Tiffany’s. Para quem quiser fazer compras, ali você encontra lojas como a Macys, Sephora, Saks, Bergdorf Goodman e, para quem procura eletrônicos, é ali que fica a B&H Photo & Video e também há uma grande Apple Store.

H) Rockefeller Center – Essa é a nossa dica de observatório da cidade, especialmente no cair da tarde e à noite: neste prédio fica o Top of the Rock, onde por módicos U$ 28 você tem a melhor vista de NYC. O prédio é um complexo de entretenimento, lojinhas, restaurantes e escritórios inaugurado durante a grande Depressão de 1929.

I) Times Square – Se você ainda tiver fôlego, caminhando mais duas quadras pela West 49thStreet, você chega na Sétima Avenida e na famosa Times Square. Prepare-se pra muvuca e boas fotos!

Dia 2

A) Estátua da Liberdade – O maior ícone americano e o principal cartão postal de NYC torna esta atração uma das mais visitadas da cidade. Para chegar lá, pegue um metrô para chegar no Battery Park e, dali, você vai pegar a balsa pra Estátua da Liberdade. Para visitá-la, compre o ingresso no Castle Clinton, no Battery Park, ao sul de Manhattan. Chegando lá, você pode visitar o Museu da Liberdade ou subir até o pedestal ou a coroa da estátua – a vista de lá é belíssima e dali você vai conferir de perto todos os detalhes da construção – mas a subida é paga. Saiba mais no site oficial da atração.

B) Financial District – Quando voltar da Estátua da Liberdade, você desembarca da balsa no Battery Park e, dali, pode ir caminhando para o Charging Bull, a Fearless Girl e Wall Street. É um passeio pra quem quer tirar as icônicas fotos com o touro (dizem que dá sorte) e com a menininha que o desafia, que virou atração turística desde março de 2017.

C) 9/11 Memorial – A partir do Distrito Financeiro, você fará uma curta caminhada para visitar o 9/11 Memorial. Antes disso, passe na St. Paul Chapel, uma igreja que serviu de base para os trabalhos de resgate no dia do atentado. Ali, você encontrará vários objetos referentes à data, cartas, fotos, depoimentos… O memorial em si é muito impressionante e um monumento de muito respeito às vítimas do atentado terrorista que marcou profundamente a história de NYC. O museu vale a visita, se você se interessar pelo assunto, é claro.

D) Brooklyn Bridge – Saindo do memorial, em uma curta caminhada de dez minutos você chega na Ponte do Brooklyn, que é passeio obrigatório pra quem visita a cidade. A ponte é a mais longa do mundo e precisa ser cruzada a pé para se ter uma linda vista da cidade e uma experiência muito bacana, que rende aquelas fotos icônicas de viagem. Cruzando a ponte, você pode fazer vários passeios diferentes, dependendo do que gostar mais: apreciar a arquitetura histórica no caminho do Brooklyn Heights Promenades; tirar a clássica foto na Washington Street, passear pelo bairro artsy dUmbo, curtir a região do Brooklyn Bridge Park com direito ao clássico sorvete da Brooklyn Ice Cream Factory, ir para a cool Williamsburg, fazer um tour pela Brooklyn Brewery ou conhecer os encantos do chocolate dos Mast Brothers

E) Brooklyn Heights Promenades – Vou sugerir aqui o meu passeio favorito ao sair da ponte e chegar ali é relativamente fácil: ao descer pela escadaria da ponte, você logo verá uma placa indicando a Brooklyn Heights Promenade. Ao chegar a uma grande praça, atravesse para a direita e pegue qualquer transversal na direção do rio. Numa breve caminhada de quatro quadras cercadas por casas históricas e típicas do Brooklyn, você chega ao local, que tem uma belíssima vista de Manhattan e que já apareceu em vários filmes – Annie Hall é o mais icônico.

F) Water Street – Depois de descansar no Brooklyn Heights, uma caminhada de 20 minutos separa uma vista icônica da cidade de uma vista icônica da ponte do Brooklyn, um spot que vai render uma das fotos mais icônicas da sua viagem: a vista da pequena Water Street. Caso bata a fome no fim de tarde, no caminho que traçamos até a Water Street há um Shake Shack, um dos melhores hamburgueres da cidade.

Dia 3

A) High Line – O minhocão que virou um parque suspenso é uma das atrações mais cool de Nova York e, aos finais de semana, costuma estar cheio de gente fazendo exercício e curtindo o dia, especialmente se tiver sol. Há vários pontos de acesso. Aqui, sugerimos o da rua 30 com 10ª Avenida (desça do metrô na Penn Station e venha caminhando).

B) Whitney Museum of Art – Aberto em 1930, expõe o que há de melhor na arte americana e fica a uma curta caminhada da saída da High Line pela Gansevoort Street. A arquitetura do museu é belíssima e o prédio tem uma vista privilegiada da cidade e do Hudson River. No acervo contemporâneo, você encontra obras de Hélio Oiticica!

C) Chelsea Market – Depois da boa caminhada pela High Line e do Museu, uma ótima opção pra almoçar é o Chelsea Market, que fica no coração do Meatpacking District (o nome é porque, antigamente, o local era lotado de fábricas de processamento e embalamento de carne).
Curiosidade: nos anos 80, o Meatpacking era um antro de prostituição de rua e clubes de sexo. Mas nos anos 90 começou a invasão de lojas de grife, hotéis de luxo e restaurantes chiques. O Chelsea Market funciona onde era uma fábrica de biscoitos, imensa, e ainda mantém a estrutura rústica e supercool. Dentro dele, você encontra diversos restaurantes ótimos – indicamos o cachorro quente da Dicksons Farmstand ou a pizza do The Napoleon.

D) Flatiron Building – Depois do almoço, nossa sugestão é uma caminhada até o Flatiron Building, um dos mais icônicos de Nova York e tem esse nome por causa do seu formato inspirado em um ferro de passar antigo. Foi inaugurado em 1902 e foi um dos primeiros arranha-céus da cidade. Se você quiser comer uma sobremesa, ele fica ao lado da Eataly, que tem um gelato incrível!

E) Greenwich Village – Esse bairro é a versão mais charmosa e mais “upper class” do East Village. Os prédios antigos e as árvores deixam as ruas muito bonitas para uma caminhada. Há vários restaurantes espalhados pelo bairro e o Washington Square Park é muito animada e cheia de jovens que moram aqui por causa da faculdade NYU. Talvez seja pela presença da universidade, o bairro é super descolado, com opções excelentes de restaurantes, bares, casas noturnas e lojinhas descoladas. Uma delícia de vizinhança!

F) Chinatown – A decisão é sua de ir caminhando (20 minutos) ou de metrô (4 min) – se escolher a última, pegue a linha D em direção à Coney Island ou B em direção à Brighton Beach e desça na Grand Street. Chinatown vale a visita: um universo de cores, sabores, templos e feiras ao ar livre – a Mott Street é a mais concorrida e cheia aos finais de semana. Tome um bubble tea, a bebida do momento em NY e, se bater a fome, a pedida de lanche são os famosos guyozas (que os americanos chamam de dumplings). Há bastante lojinhas da iguaria por lá!

G) Little Italy – Fica do ladinho de Chinatown. Embora Little Italy seja um dos menores bairros da cidade, suas ruas estão repletas de visitantes do mundo inteiro, especialmente nos fins de semana do verão, quando as ruas são fechadas ao tráfego. Dê um passeio até Mulberry Street e você verá uma densa mistura de restaurantes italianos com mesas na calçada, cafés e lanchonetes à moda antiga. Não se surpreenda quando os anfitriões acenarem chamando para visitá-los. Pare para um café e um cannoli ou escolha uma mesa na rua para admirar a paisagem enquanto aprecia uma autêntica refeição italiana.

H) Attaboy – Depois de tanto caminhar, nossa sugestão é que você aproveite a área boêmia do Lower East Side e vá beber drinks num dos melhores bares do bairro, o Attaboy. Quando você pergunta qual o melhor bar de NYC o Attaboy é sempre indicado, e tem em seu currículo o quarto melhor bar do mundo na lista dos 50 melhores. Olhado de fora nunca se pode imaginar que naquele lugar tem um bar que vai satisfazer todos seus desejos alcoólicos. Dica: chegue cedo para poder entrar e sentar. Eles não trabalham com cardápio, assim você explica para o bartender o tipo de coquetel que o agrada ou o que está esperando beber. O coquetel é espetacular e se estiver em grupo melhor ainda porque pode experimentar o maior número possível de aromas e sabores. Não aceitam reserva, bata na porta para entrar.

Para a compra antecipada dos ingressos recomendamos o site oficial de cada atração ou então tudo num único site e em português – Ticketbar!

Tudo sobre Nova York

NYC: contatos e números de emergência

Polícia de emergência, corpo de bombeiros, ambulância: 911 (ligação gratuita de qualquer orelhão)
Informação da polícia (não de emergência): 311
Linha anônima (para relatar um crime): 646-610-5000
Pessoas Desaparecidas: 212-694-7781
Suspeita de Terrorismo: 888-NYC-SAFE
Crimes sexuais: 212-267-RAPE

Consulado Brasil em NYC
Endereço: 225 E 41st St, New York, NY
Telefone: +1 917-777-7777
Site oficial (em português e inglês)

_____

Recomendados pelo blogueiro para uma viagem perfeita
Guias, transfers, hospedagens e outros serviços para uma viagem tranquila e segura
Alugue seu carro com Rental Cars ou RentCars
Reserve seu hotel
Compre seu ticket de trem
Evite filas nas atrações turísticas e programe seus bate-volta comprando ingressos e passeios antecipados
Reserve seu voo
Viaje tranquilo com seu seguro viagem Seguros PromoReal SegurosMondial Assistance ou World Nomads
Serviço de câmbio confiável e com boas taxas, com desconto para leitor do Viajando: Confidence

__

banners05animado01

SalvarSalvar

SalvarSalvar

Tags

5 Comentários

  1. Olá Manuela, lembro de ter escrito algo sobre Nova York, mas parece que você escreveu tudo! Parabéns pela ótima postagem, e obrigado pelas dicas!!

    http://www.passagensmaisbaratas.com/

    Comente
    • Manuela Colla

      Oi, Luis!

      Obrigadão! 🙂

      Comente
  2. Oi, Manu. Tudo bem?

    Que post completão! Parabéns 😀

    Obrigada por indicar um texto do Sunday o/

    Acho que está na hora de voltar para NY.

    Comente
    • Manuela Colla

      Apenas para dizer que posso fechar o notebook agorinha: a semana tá ganha! 🙂

      (Fora que sempre tá na hora de voltar pra NY, né?)

      Beijo!

      Comente
  3. Oi, Manuela. Tudo bem?
    Que post completão! Parabéns 😀

    Obrigada por indicar o texto do Sunday. Acho que já está na hora de voltar para NY.

    Comente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *